Domingo, 30 de Março de 2008

FADO VERSÍCULO e a Comunicação Social

É tal a confusão que reina na maior parte dos orgãos de comunicação social, que apesar de já estar provado, que, só por desconhecimento absoluto da Academia das Ciências Cinematográficas Espanhola, em matéria de fado, é que foi atribuido o Goya ao tema Fado da Saudade, que a imprensa, ao contrário do que era habitual, há uns anos atrás, continua a publicitar um "feito", que constitui uma “burla”, com a agravante, de ouvirem apenas uma das partes envolvidas no diferendo (Carlos do Carmo), esquecendo a outra parte que se diz lesada, que sou eu, (Vítor Marceneiro) e todos os restantes herdeiros de Alfredo Marceneiro.

E a confusão é tal, que esta noticia da revista "TV 7 Dias", atribui-me a autoria dos clássicos gravados por Carlos do Carmo, no seu album "À NOITE", quando o verdadeiro autor é ALFREDO MARCENEIRO, e não VITOR MARCENEIRO.

 

Trata-se de uma "gralha", da revista, bem o sei, mas evidencia que o meu nome é conhecido, razão porque referem VITOR MARCENEIRO como autor, o que me leva a pensar que não desconhecem o diferendo existente entre Vitor Marceneiro,  Carlos do Carmo e Sociedade Portuguesa de Autores,  embora, nunca tenham tido a curiosidade de ouvirem a minha opinião sobre o assunto.

Mas, como "fraudes", e atitudes menos honestas, não são por mim praticadas, porque continuo a seguir o ditado popular de "o seu a seu dono", venho corrigir a noticia da revista, afirmando que o autor dos clássicos cantados por Carlos do Carmo no seu novo album, é ALFREDO MARCENEIRO,  QUE É O MESMO AUTOR DA MUSICA DO FADO SAUDADE. SÓ QUE, QUEM DIZ TER RECEBIDO O PRÉMIO GOYA, COM UMA MUSICA QUE NÃO É DELE, FOI CARLOS DO CARMO....

NÂO ESTRANHA A COMUNICAÇÃO SOCIAL, QUE O AUTOR DO POEMA, ESSE SIM INÉDITO, E QUE FOI, AFINAL, QUEM NA REALIDADE RECEBEU EM MÃO O PRÉMIO GOYA, NUNCA SEJA REFERIDO, FALADO  E ENTREVISTADO?

É de lamentar, que a imprensa não se esforce por repor a verdade, investigando, pesquisando e ouvindo todas as partes interessadas. 

QUE É FEITO, AFINAL, DAQUELA CLASSE DE JORNALISTAS, QUE TANTO SOFREU COM A CENSURA ?

 

 

Notícia ublicada na  na "Revista 7 Dias" da Semana de 12 a 18 de Março de 2008, página 112

 

Contacto com o autor: clicando aqui
publicado por Vítor Marceneiro às 18:38
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Fernando Pontes a 30 de Março de 2008 às 23:15
Agora já faz parte da banda sonora.
Onde isto irá dar?
Cá parta mim você ainda tem muito que palmilhar para desmascarar o "Charmoso"
F. Pontes
De Maria Alexandra a 31 de Março de 2008 às 15:26
Caro Senhor
Tenho visto o seu trabalho, proporcionando-me boas recordações, por tudo isso obrigado.
Sou grande admiradora de Carlos do Carmo, e estou muito confusa com toda esta polémica, mas deu-me para perceber que independentemente de quem é dono da razão, o senhor está em desvantagem, da forma como estão a dar cobertura ao caso, dando só praticamente a palavra a Carlos do Carmo, tudo me leva a crer que como é habitual haja "um desespero de causa". obviamente que continuarei a gostar de ouvir Carlos do Carmo a cantar, mas a sua postura neste caso não me deixa dúvidas da razão do dito popular - QUEM CALA CONSENTE -
Fui casada 32 anos com um jornalista, homem integro e imparcial, como tantos outros, mas são qualidades que se vão tornando raras nesta profissão.
Cumprimento
Maria Alexandra
De MIGUEL VILLA a 31 de Março de 2008 às 20:02
caro vitor marceneiro nao tenho comentado nestes ultimos tempos mas tenho estado atento a tudo o que nos tem trazido,e de facto vivemos num triste pais,a todos os niveis mas culturalmente pior.
o senhor seu avo foi um grande nome do fado que este pais devia de homenageAR A SERIO E SABER RESPEITAR
MAS INFELIZMENTE VIVEMOS NUM PAIS DE DESRESPEITO E ONDE NAO SE RESPEITA TAMBÉM QUEM SABE.
QUERO QUE SAIBA QUE ESTOU DO SEU LADO PELA RAZAO E PELA VERDADE
UM ABRAÇO SINCERO MIGUEL
De ADRIANO a 31 de Março de 2008 às 22:22
Sim senhor, como se o publico já não estivesse confuso ainda se publicam artigos em que os autores dos fados tradicionais se confundem.. Jose Campos???????? Caro Vitor Marceneiro o meu muito obrigado pela atenção que tem tido pelos amantes do fado. Continue! ADRIANO

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags