Sábado, 31 de Maio de 2008

CORO STº AMARO DE OEIRAS

CORO DE SANTO AMARO DE OEIRAS

 

O Coro de Santo Amaro de Oeiras foi fundado em 1960 pelo Maestro César Batalha, seu Director Artístico.
Orienta a sua existência para a prática da música coral, abrangendo os mais diversos estilos e épocas, num repertório vasto que contempla muita da obra de compositor do seu Maestro.
Tem realizado um sem número de concertos em Portugal Continental e Ilhas e no estrangeiro, estando presente em momentos da mais alta relevância da vida do nosso País - Dia de Portugal, Campanhas de Solidariedade, colaboração com as mais eméritas instituições civis, militares e religiosas - gravado programas na rádio e televisão, executado trabalhos para Cinema e Teatro, possuindo para além disso uma extensa discografia.
Integram o seu “universo” o Coro Infantil de Santo Amaro de Oeiras, desde 1976, com muitos discos gravados onde figuram temas que alcançaram enorme popularidade, ( Eu Vi um Sapo, primeiro lugar no Sequim de Ouro em Itália e A Todos um Bom Natal, trecho que já faz parte do Natal português) e os grupos Com-Clave (1982), Contraponto (1986) e Maismúsica (1990), fundados e orientados pelo Maestro César Batalha.
O tão divulgado agrupamento juvenil Ministars integrou também o Coro de Santo Amaro de Oeiras desde o seu início em 1986 até 1994.
Pelo trabalho desenvolvido em prol da música coral no nosso País, vem sendo distinguido e galardoado por diversas e bem representativas entidades, sendo considerado pela Autarquia de Oeiras o “ex-libris” deste Concelho e um digno embaixador da sua Cultura.
Essa mesma Autarquia, em 7 de Junho de 2000, Dia do Foral do Concelho e ano das comemorações do 40.º Aniversário deste Coro, quis homenagear o trabalho do seu Fundador e Director Artístico inaugurando um monumento à vida e obra do Maestro César Batalha no centro pombalino da Vila de Oeiras.


 

Maestro CÉSAR BATALHA

Nascido em Oeiras no ano de 1945 e fundador do Coro de Santo Amaro de Oeiras  em 1960, César Batalha tem desenvolvido uma importante acção em prol da música coral no nosso País.
Começou os seus estudos e prática de música coral polifónica e canto gregoriano com o Prof. António Freire Garcia quando aos oito anos ingressou no Grupo dos Pequenos Cantores de Oeiras, tendo representado Portugal no VII Congresso Internacional dos Petits Chanteurs de la Croix de Bois em Lourdes. Estudou Teoria da Música, Solfejo e Piano, com a Profª Clementina Pinto Coelho, órgão com o Prof. Sibertin Blanc, no Centro de Estudos Gregorianos e direcção musical com o Prof. Kurt Prestel, do Mozarteum de Salzburgo.
Para além desta orientação académica, César Batalha adquiriu vastos conhecimentos dentro da arte musical através de um intensivo e sempre continuado trabalho como autodidacta, através do qual explora, renova e inova a sua criatividade.
Maestro, Compositor, Organista, Professor, o seu nome é reconhecido em Portugal e no estrangeiro.
Foi durante cerca de três décadas titular e responsável pela música litúrgica da Igreja Paroquial de Oeiras.
Dirigiu o Orfeão Académico de Lisboa, o Coro da Tabaqueira, o Coral Ultramarino de Lisboa e dirige actualmente o Coro do Banco de Portugal.
A sua actividade é intensa e diversificada. Para além do seu trabalho com o Coro de Santo Amaro de Oeiras e todos os seus agrupamentos, vai prosseguindo numa já vastíssima obra de composição que abrange diferentes facetas: polifónica e orquestral, litúrgica, infantil e música de cena, enveredando ainda pelos caminhos da tecnologia informática ligada à ciência musical, gravando com os seus coros e com orquestras, dirigindo bandas sinfónicas, realizando concertos no País e no estrangeiro, ensinando no St. Julian’s School e orientando departamentos de música clássica de editoras discográficas.
Pela sua canção infantil EU VI UM SAPO, foi-lhe atribuído o primeiro prémio de composição no Sequim de Ouro em Bolonha e A TODOS UM BOM NATAL resultou num clássico do Natal português. De referir, como obra bem demonstrativa da sua capacidade de compositor, o poema sinfónico SEARAS, gravado em disco pelo Coro de Santo Amaro de Oeiras e a Orquestra de Estúdio, sob a direcção e com a supervisão do autor.   
Colaborou com grandes nomes da encenação em Portugal compondo música para variadíssimas peças teatrais, sobretudo para o Teatro Nacional Dona Maria II.
Possui ainda uma extensa discografia abrangendo a sua música coral e orquestral.
O reconhecimento da sua obra tem sido demonstrado pelas mais diversas entidades.
Destacando algumas delas: A Medalha de Ouro da Câmara Municipal de Oeiras bem como a colocação do seu busto na Vila de Oeiras, o Troféu Nova Gente em 1980, o Prémio de Popularidade da Casa da Imprensa, o Diploma de Excelência Profissional Rotary Clube de Oeiras, entre muitas outras. 

 

O Balãozinho do filme

"A Canção de Lisboa"

pelo Coro Stº Amaro de Oeiras

Autores: José Galhardo, Raul Portela e Raul Ferrão

 

 

 

Nota: Agradeço a colaboração de Elizabete Saleiro (coralista)

Contacto com o autor: clicando aqui
música: O Balãozinho - Filme Canção de Lisboa
publicado por Vítor Marceneiro às 22:01
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De ACCB a 2 de Junho de 2008 às 15:36
Gostei de abrir a janela e esperitar Lisboa - a minha terra -por aqui.
De MIGUEL VILLA a 2 de Junho de 2008 às 16:27
OLA CARO AMIGO VITOR MARCENEIRO
VOU DEIXAR AQUI O MEU ENDEREÇO DO MSN PARA PODERMOS FALAR MAIS VEZES.
NA PASSADA 5 F FALECEU NA CASA DO ARTISTA A FADISTA DEOLINDA MARIA
SEI QUE FARÁ AQUI UM APONTAMENTO TAL COMO EU FIZ NO MEU LOG
WWW.FOTOLOG.COM/PARQUEMAYER1
ABRAÇO MIGUEL VILLA
De Vítor Marceneiro a 2 de Junho de 2008 às 18:08
Meu Querido Amigo
Há que "Luas" e "Sois" que não o vejo, e não lhe dou um abraço.
Obrigado pela informação, estou a tentar arranjar alguns dados sobre ela, sei que erea a mãe de José Manuel Neto, mas não o condsegui contactar (também se conseguisse, talvez não falasse comigo, por ordem do CC...penso!), mas vou fazer uma notícia e relembrá-la pois cantava muito bem.
Acabou por não me enviar o seu mail, o meu é: marceneiro@sapo.pt
Um abraço
Vítor
Esqu

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags