Domingo, 31 de Agosto de 2008

DEOLINDA MARIA

Fadista, actuou em várias casas de fado, era mãe do guitarrista José Manuel Neto.

Deolinda Maria faleceu há bem pouco tempo, como não tinha nenhum dado biográfico pois só a conheci superficialmente,  recordo que era uma pessoa muito simpática e que cantava muito bem. Tentei contactar com o filho, o que não consegui, como não nos conhecemos pessoalmente, fiz o pedido a algumas pessoas para me auxiliarem fornecendo-me mais pormenores sobre a sua figura, o que até hoje não consegui.

Mesmo assim quero aqui prestar-lhe  a minha sincera homenagem como fadista,  e como mãe de um grande músico do Fado.

 

 

 

 

 

 Deolinda Maria canta

Versos de Heloína Pina

Música de Alfredo Marceneiro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma neta de Deolinda Maria,  de seu nome Ana Mafalda, que infelizmente não tem muitos dados sobre a avó, escreveu nos comentários, um texto que muito me enterneceu e que abaixo transcrevo,

 

                                "Silêncio meu amor não digas nada,
                                  Falar pra quê falar é tarde agora
                                  Não perturbes a calma conquistada
                                  á custa dessa dor sofrida outrora.
...
Falar pra quê falar se eu sou apenas
a sombra de uma alma torturada
é tarde não acordes minhas penas
silêncio meu amor não digas nada."

Este poema da minha avó nunca mais vai ser cantado como dantes...é a minha reza, o meu choro.

Já se passou algum tempo desde a partida da minha avó, a vida dá muitas voltas e nem sempre damos valor ao que temos no momento, só quando elas partem é que vimos o quanto nos fazem falta...

                                         "Ao chorar tua partida,
                                          cantei o nosso Fado.
                                         Disses-te Adeus á vida
                                         Com o teu xaile traçado"

Um xaile que me irá sempre acompanhar na memória, um xaile preto de dor e de lamento...um xaile que me passou fado...o seu grande amor ...cantar e cantar tão bem como cantava...."Gosto de ti porque gosto, a razão não sei dizer..." Gosto de ti do teu Fado...sempre gostei..e canto-te todos os dias todas as noites...."Madrugada a horas mortas, porque me deixas sozinha..." Partiste mas não me deixaste..deixaste o teu Fado...

                                  "Nesta vida desvairada 
                                  de tormento e ansiedade
                                   há sempre um pequeno nada
                                   que nos dá felicidade....

não lamentes tua sorte
por teres a vida perdida
porque a corrida pra morte
também faz parte da vida".

 

Contacto com o autor: clicando aqui
música: Eu trago risos na boca
publicado por Vítor Marceneiro às 12:28
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De katia sophia a 25 de Novembro de 2008 às 22:05
a fadista deolinda era tia da minha sogra, ou seja do meu marido primo do zé manel. 962992600
para mais informaçoes j0kat@hotmail.com ou katia_sophia@hotmail.com
Eu tambem sou "fadista" e tal como voce, gostaria de dizer que era sim uma grande Fadista!
De Petalas de seda a 28 de Novembro de 2008 às 18:19
Nos da Agencia Funerária Pétalas de Seda, prestamos nossa homenagem a grande artista Deolinda Maria, a qual prestamos nossos humildes serviços com grande orgulho, e profissionalismo . E Presenciamos uma linda despedida de familiares e amigos, que tocaram fados no fatídico dia. Além de lembrar vos que será celebrada uma missa de aniversário do 6º mês, de seu falecimento, na igreja da Charneca dia 30 de Novembro de 2008
Mais informações 219203043
De alexandra a 30 de Dezembro de 2008 às 23:15
amo-te mãe
De alexandra a 30 de Dezembro de 2008 às 23:31
Minha querida mãe.
Faz hoje 7 messes que partiste para o mundo do além.
o meu mundo ruiu quando partiste e tão grande dor ficou no meu peito.
Foste uma grande senhora , grande mulher, grande mãe e a minha melhor amiga.
"Sei que um dia vou partir e ati me reunir nesse mundo do além ,então chorarei á vontade morrendo em mim a saudade quando te puder outravez chamar Mãe"
Quero agradecer a todos os colegas e amigos que com ela partilharam os bons e os maus momentos e que de alguma forma estiveram sempre presentes e privaram da sua companhia.
muito obrigado pela homenagem , pelo carinho e por manterem ainda que assim a sua memória viva.
Amo-te MÃE.
Ès e serás sempre a pessoa que mais amei neste mundo.
Bem hajam.
De Vítor Marceneiro a 31 de Dezembro de 2008 às 12:05
Alexandra.
Ao fazer esta página relembrando sua mãe, fi-lo com o intuito de lembrar uma pessoa que cantava o fado e para mais era mãe e um grande guitarrista.
A mim não têm nada que agradecer, mas não acham, que era altura de entrarem em contacto comigo para que eu pudesse escrever mais dados sobre sua mãe ? Pelos vistos se não fosse esta minha iniciativa, não tinha onde expressar os seus sentimento.
A sua mãe merece que saibamos mais dela, onde nasceu?= como começou a cantar o Fado, etc.
Fica ao vosso critério.
Cumprimentos
Vítor Marceneiro
De Helena a 25 de Janeiro de 2009 às 10:56
Me fica uma grande triseza, saber que nao posso mais visitar você!
Guardarei você no meu coracao para a eternidade!
Helena
De Mafalda Taborda a 9 de Fevereiro de 2009 às 14:46
"Silêncio meu amor não digas nada,
Falar pra quê falar é tarde agora
Não perturbes a calma conquistada
á custa dessa dor sofrida outrora.
...
Falar pra quê falar se eu sou apenas
a sombra de uma alma torturada
é tarde não acordes minhas penas
silêncio meu amor não digas nada."

Este poema da minha avó nunca mais vai ser cantado como dantes...é a minha reza, o meu choro.

Já se passou algum tempo desde a partida da minha avó, a vida dá muitas voltas e nem sempre damos valor ao que temos no momento, só quando elas partem é que vimos o quanto nos fazem falta...

"Ao chorar tua partida,
cantei o nosso Fado.
Disses-te Adeus á vida
Com o teu xaile traçado"

Um xaile que me irá sempre acompanhar na memória, um xaile preto de dor e de lamento...um xaile que me passou fado...o seu grande amor ...cantar e cantar tão bem como cantava...."Gosto de ti porque gosto, a razão não sei dizer..." Gosto de ti do teu Fado...sempre gostei..e canto-te todos os dias todas as noites...."Madrugada a horas mortas, porque me deixas sozinha..." Partiste mas não me deixaste..deixaste o teu Fado...

"Nesta vida desvairada
de tormento e ansiedade
há sempre um pequeno nada
que nos dá felicidade....

não lamentes tua sorte
por teres a vida perdida
porque a corrida pra morte
também faz parte da vida".

Deolinda Maria....um nome que eu vou sempre tentar com que não se esquecam de mencionar no meio onde estou ...no meio onde ela cresceu ...o Fado, relembro todas as noites o seu nome ao cantar os seus fados.
Inclusivé divulguei alguns temas dela na RNA, uma das estações recentes e conhecidas a divulgar a nossa música portuguesa...
A minha avó cantou em várias casas de fado como o Café Luso onde actuou vários anos...todas as noites oiço falar dela, histórias da sua vida no Fado... estou a tentar reunir algumas informações sobre a minha avó dados mais concretos de forma a poder fazer uma biografia.

Este é o meu mail : mafalda_taborda@hotmail.com

No que eu poder ajudar e vice versa aqui deixo o meu contacto.

Amo-te avó....toda a tua famíia te ama e continuará a amar até nos encontrar-mos contigo...tal como tu escreveste...todos partimos - "Porque a corrida pra morte também faz parte da vida".

Até um dia avó...

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags