Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

MUSEU DA MÚSICA

.:: PALESTRA «A HISTÓRIA E OS SONS DOS CORDOFONES PORTUGUESES» ::.

Terça-Feira, 28 de Outubro // 18:00 h

 

 Os cordofones portugueses estarão no centro de uma apresentação efectuada por José Lúcio, músico com mais de 40 anos dedicados à investigação que conheceu de perto os grandes mestres, investigadores e construtores, tendo reunido uma importante colecção.

No decorrer da sua palestra, José Lúcio aliará a palavra à música, interpretando pequenos temas para cavaquinho, bandolim português, viola da terra (Açores), rajão (Madeira), viola de fado e guitarra portuguesa (Coimbra), procurando destacar a riqueza e variedade da música e dos cordofones portugueses.

Esta palestra surge precisamente no âmbito de um exercício académico que procurará elaborar um projecto para criação de um Centro para a Guitarra Portuguesa, instituição de carácter museológico que terá como missão a promoção da música portuguesa e do seu artesanato instrumental, reunindo as colecções de José Lúcio.

Envolvendo as Universidades de Baltimore (EUA), do Minho e Nova, o referido exercício procurará conjugar aspectos museológicos e musicológicos com uma perspectiva económica de responsabilidade social.


 

.:: «RECORDAR ALFREDO MARCENEIRO» ::.

Terça-Feira, 28 de Outubro // 19:30 h

 

Recordar Alfredo Marceneiro é um espectáculo/palestra,  som, animação de imagem e canto ao vivo conduzido e interpretado por Vítor Duarte “Marceneiro”, neto desse grande nome do Fado, em que se passa revista à sua biografia, ao mesmo tempo que se projectam fotografias de arquivo, excertos sonoros de filmes em que participou, capas de discos, cartazes de espectáculos, etc.

A acompanhar Vítor Duarte “Marceneiro” na sua apresentação, estarão músicos de reconhecido mérito como Luis Ribeiro (Guitarra Portuguesa) e Jaime Martins (Viola Baixo), não esquecendo a participação especial de José Lúcio (musicólogo / investigador) em Viola de fado.

» Mais informações em http://museu-musica.blogspot.com

___________________________________________________________

 

 

MUSEU DA MÚSICA

Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos

Rua João de Freitas Branco

1500-359 LISBOA

PORTUGAL

Tel:  (351) 21 771 09 90 / Fax: (351) 21 771 09 99 / e-mail: mmusica@ipmuseus.pt

site: www.museudamusica-ipmuseus.pt / blog: http://museu-musica.blogspot.com


Lisboa, 25 Out (Lusa) - Estudantes universitários norte-americanos estudam a possibilidade da colecção de instrumentos tradicionais de cordas do músico e estudioso José Lúcio tornar-se um Centro Museológico.

    No âmbito deste "exercício académico", o músico organiza terça-feira um recital no Museu da Música, em Lisboa, ao Alto dos Moinhos, para os universitários de Baltimore, sobre os cordofones portugueses com exemplificações ao vivo.

    Esta sessão em que tocará pequenos temas para cavaquinho, bandolim português, viola da terra (Açores), rajão (Madeira), viola de fado ou guitarra portuguesa realiza-se pelas 18:00 de terça-feira próxima e é aberta ao público.

    À palestra de Lúcio, intitulada "A História e os Sons dos Cordofones Portugueses", seguir-se-á a apresentação de uma palestra/espectáculo "Recordar Alfredo Marceneiro" pelo seu neto, Vítor Duarte Marceneiro.

    Distinguido este ano com o Prémio Amália Rodrigues Ensaio e Divulgação, Vítor Duarte Marceneiro é autor de duas biografias do seu avô e de uma de Hermínia Silva.

    Em declarações à Agência Lusa, José Lúcio afirmou que "há o interesse por parte dos norte-americanos em construir um Museu vivo em Portugal" a partir da sua colecção.

    "Um Museu em que, além de expor os instrumentos da minha colecção que são cerca de 300, vão-se fazer cursos em que as pessoas possam aprender a tocar cavaquinho, viola braguesa e guitarra portuguesa. Outra vertente é a manutenção de instrumentos antigos. Portugal deve ser o país com o maior número de instrumentos velhos que vão para o lixo porque ninguém os repara", disse.

    "Nos nossos museus, se formos ao Verdades Faria [em Cascais], ou ao do Alto dos Moinhos, a maior parte dos instrumentos estão abandonados porque o Museu não tem ninguém que faça a manutenção, quer em termos de execução, como em verificar se um instrumento abriu rachas, partiu uma corda, etc.. A intenção é também criar um conjunto de postos de trabalho na área da musicologia", disse José Lúcio.

    Este projectado Centro Museológico requer espaço para oficinas, salas de estudo e um pequeno auditório, além da área de exposição, segundo disse o músico.

    O pequeno auditório é "essencial", pois seria um espaço para recitais de viola braguesa, bandolim ou guitarra portuguesa, "um hábito pouco comum entre os portugueses", frisou.

    Referindo-se à sua colecção, José Lúcio afirmou à Lusa que já teve uma proposta para a vender a um museu do Sul de Espanha, mas "por enquanto fica por cá".

    O músico chegou a apresentar um projecto à Câmara de Odivelas, que "se terá desinteressado, pois nunca mais disseram nada".

    Uma rabeca chuleira ou violino de braço curto, construída em Portugal em 1802 e "em perfeito estado para ser tocada", é o instrumento mais antigo da colecção que começou a fazer há 40 anos e que tem cordofones representantes de todas as regiões do país.

    Fonte ligada ao processo disse à Lusa que "o papel do Museu da Música é principalmente o de receber esta iniciativa e também trocar alguma informação, do ponto de vista da experiência".

    José Lúcio disse à Lusa que "há um grande interesse dos norte-americanos pelo fado e a figura de Marceneiro", daí o convite ao seu neto.

    "Eu podia falar de Marceneiro, mas se há o neto, que é um investigador, com material sobre ele, designadamente filmagens e fotografias, e ainda por cima canta, foi óbvio o convite", explicou.

    A acompanhar Vítor Duarte Marceneiro estarão Luís Ribeiro (guitarra portuguesa), Jaime Martins (viola baixo) e o próprio José Lúcio (viola).

 

Nuno Lopes   

 

    Lusa/Fim

 

Contacto com o autor: clicando aqui
publicado por Vítor Marceneiro às 01:00
link do post | comentar | favorito
Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags