Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Poeira e Natas!!!...

No dia 21 de Agosto recebi um mail de &KTAL, com um artigo da HARDMUSICA sobre uma entrevista dada por Carlos do Carmo:

De: &KTAL [mailto:0161867102@netcabo.pt]
Enviada: sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 3:32
Para: Undisclosed-Recipient:;
Assunto: CARLOS DO CARMO: "Tudo o que seja tirar a poeira e os preconceitos, só me pode encher de alegria"

«Em Janeiro fui a Paris de propósito para um "workshop" onde estava a nata da sociedade francesa e estavam também os principais directores da UNESCO. Fiz uma espécie de conferência cantada falando e cantando e as pessoas terminaram encantadas e despertas para a situação e dizendo-me, "mandem-nos com urgência isso. Muito interessante, que canção tão interessante". Portanto agora vamos entrar na pior fase disto, que é a burocracia, com o Ministério da Cultura e com o dos Negócios Estrangeiros, à portuguesa. Vamos ver se haverá da parte dos ministérios bom senso de não empatar as coisas. Para não ficarem nas gavetas, de não se arrastar indefinidamente, porque a UNESCO está apenas à espera.»

 

Leia a entrevista em www.hardmusica.pt

 


Qualquer pessoa pode  tirar as ilações que muito bem quiser, mas há factos nesta notícia, que são de comentar:

- Isto passou-se em Janeiro, pelo que parece que era muito importante, mas só agora é noticiado!

- Houve há pouco tempo um espectáculo/promoção no Museu do Fado em que o “Fado na Unesco” foi o assunto nuclear. Consta que no final o Presidente da C.M.L., Dr. António Costa informou que tinha falado com o nosso Embaixador na UNESCO, Dr. Maria Carrilho, e este ao tomar conhecimento do assunto?!, (não sabia?), informou que tinha muito gosto em entregar o projecto assim que o mesmo fosse entregue.

(Então não teria de ser os Embaixadores Carlos do Carmo e Mariza, não há direito depois de tanto empenho), digo isto porque, há uns tempos atrás soubemos pela comunicação social (alguma), que Carlos do Carmo afirmou: — Recebi um telefonema em que me cumprimentavam como Sr. Embaixador…… blá, blá, resumindo, alguém o tinha nomeado a ele e à Mariza Embaixadores para o Projecto do Fado a Património da Humanidade na UNESCO. !!!

 - Agora canta para a "NATA" da sociedade francesa, que pelos vistos não o conhecia nem ao Fado?

- Qual será o conceito de NATA DA SOCIEDADE, para um homem que se intitula de esquerda!?

- Os Senhores da Unesco, idem, que segundo parece,  nem têm pelouros específicos, vão todos ao mesmo!

Exclamam: Muito interessante, que canção tão interessante, mandem-nos com urgência isso.

Mas o mais interessante, é que já se vislumbra o que vai acontecer, como se pode verificar Carlos do Carmo, já começa a sacudir a água do capote….AGORA VAMOS ENTRAR NA PIOR FASE DISTO, QUE É A BUROCRACIA, COM O MINISTÉRIO da CULTURA E COM O DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS, À PORTUGUESA.

…. A UNESCO SÓ ESTÁ À ESPERA….

Agora fico á espera dos aficionados "do charmoso" que me vão rebater isto, força pois como sabem este blogue não tem censura (se não houver ofensas para ninguém), estamos a discutir ideias e aldrabices…. TIRAR POEIRA DOS OLHOS E ACABAR COM OS PRECONCEITOS, DESMASCARAR ESTA E OUTRAS ARTIMANHAS…. SÓ NOS PODE ENCHER DE ALEGRIA.

                               

Recebi também do comentador Fernando Zeloso, (anti-poeira nos olhos, anti-preconceitos e grande admirador como eu de pastéis de NATA, estes sim muito nossos,  e muito bons, acessíveis a todas as classe da sociedade (claro quem não pode comer uma dúzia, contenta-se com um) porque os tais senhores,  que são os da tal NATA, nós já sabemos camarada... ELES COMEM TUDO.

 


RESPOSTA À HARDMUSICA SOBRE A ENTREVISTA A CARLOS DO CARMO!!!

 

"Tudo o que seja tirar a poeira e os preconceitos, só me pode encher de alegria"! (Carlos do Carmo)

 

Quando Carlos do Carmo fala de poeira, está a referir-se precisamente à poeira que ele anda há 50 anos a atirar para os olhos dos Fadistas e dos Portugueses em geral, sobretudo, quando (como "fadista" que se crê) "orgulhosamente só", cantou 8 canções no Festival de Canção de 1967 (porquê um "fadista"?). Não havia cançonetistas? Não foi para agradar a gregos e a troianos?

Com a vigarice do Prémio Goya, com esta Candidatura e com o filme "Fados-Saurganhada" e, quando disse à revista "Espiral do Tempo" que: "Amália era uma mulher triste que cantava um fado menor, um fado triste, enquanto eu e Mariza cantamos um fado corrido, um fado maior!"

Claro, que falar assim, invejosamente, para os Portugueses, da melhor cantora e fadista portuguesa de todos os tempos, que espalhou todo o tipo de fados, marchas de Lisboa, folclore italiano, flamenco, rancheras, havaneras e todo o folclore português pelo mundo inteiro, é mesmo de quem não tem poeira, mas sim, cimento armado no cérebro!

Os preconceitos no Fado e os complexos também são só dele; Senão vejamos: Ele até nem faz concertos, ele passeia a sua Fraka Sinatrisse em Recitais de Fado com sinfonieta, tudo pago com o dinheiro do Povo. E, os outros? Tudo para alimentar a loucura de ser eternamente um efeito secundário de Frank Sinatra! E foi, nesse sentido, que ele trouxe antipatrioticamente para o Fado, o contrabaixo (instrumento sem portugalidade, sem imagem, sem nacionalidade, sem capacidade e sem sonoridade fadista) tudo em deterimento da viola-baixo portuguesa, única no mundo e em extinção, graças aos seus complexos e preconceitos de Frako Sinatra.

Poeira na cabeça é o pretensiosismo de dizer ter cantado no Royal Albert Hall e na Alte Oper de Frankfurt, sem explicar aos seus "fãs" que nessa Casa de Espectáculos alemã, foi Amália Rodrigues que "abriu a porta" a ele e aos outros cantadores, cantores e guitarristas abaixo mencionados. O Sr. Carlos do Carmo devia explicar ainda que, na Alte Oper de Frankfurt existem 4 Salas que são alugadas em função da dimensão artística atribuída à arte que ali se pretende exibir, que vai desde o Circo até ao Bel Canto, passando pelo Fado. Essas Salas designam-se por Grosser Saal, Mozart Saal, Hindemitte Saal e Opernkeler. Para deixar aqui a verdadeira noção do que é cantar na Alte Oper de Frankfurt, aqui fica a lista cedida pelo empresário TFM-Teo Ferrer de Mesquita, de todos os artistas portugueses que até 1987 pisaram o palco da Alte Oper, sem nunca esse acontecimento ter sido divulgado aos portugueses, salvo o sinátrico "Recital" de Carlos do Carmo.

Para que fique bem claro, passo a indicar os nomes dos portugueses que actuaram nesse espaço:

António Chainho, Carlos do Carmo, Carlos Paredes, Carlos Salomé, Fausto, Fernando Alvim, Fernando Correia Martins, Francisco Fanhais, Grupo de Guitarras e Cantares de Coimbra (Alfredo Correia, António Brojo, António Portugal, Fernando Machado Soares, Luis Filipe e Luis Marinho) Janita, José Afonso, José Maria Nóbrega, José Mário Branco, Júlio Pereira, Luisa Amaro, Martinho d'Assunção, Paco Bandeira, Pedro Caldeira Cabral, Rodrigo, Sérgio Godinho, Teresa Silva Carvalho, Trovante (Artur Costa, Fernando Júdice, João Gil, José Martins, José Salgueiro, Luis Represas e Manuel Faria) e Vitorino! 

Imaginem, até 2009, quantos mais lá passaram sem os portugueses saberem! Assim, conclui-se que nos Casinos do Estoril ou de Lisboa, a divulgação internacional dos artistas é muito superior à da Alte Oper de Frankfurt ou do Royal Albert Hall, onde nestes casos, só vão portugueses!

Os fadistas são cultos e inteligentes o suficiente para saberem que já desde há séculos, a música quando nasce é imediatamente Património da Humanidade! Portanto, o Fado já é há séculos esse Património, mesmo antes de ter "vindo do Brasil" e de ser estúpida e antipatrioticamente considerado uma "Canção de Lisboa", o que nos leva a crer que se o Fado só é Património de Lisboa e não Nacional, não será nunca Património da Humanidade!

É preciso ser-se estupidamente ignorante em FADO e julgar os outros ainda piores, para se ter a lata de ver em Carlos do Carmo, aos 70 anos, o "Anjo da Anunciação" que se desloca a Paris para anunciar aos franceses a chegada do Fado!!!

Faz-me lembrar os próprios francesas a anunciar anualmente a chegada do Beaujolais (vinho)! Os franceses já conhecem o Fado de cor e salteado porque lhes foi mostrado, cantado e explicado por AMÁLIA durante 50 anos! Por isso, ninguém disse ao "Embaixador da mentira" - muito interessante, que canção tão interessante"!

Será que a Hardmusica não sabe que já há 40 anos, um senhor do Mundo que dá pelo nome de Charles Aznavour, se dignou fazer um Fado para Nossa Senhora do Fado, com poema em francês, com o título "Aie Mourir pour toi"? Será que a Hardmusica não sabe que o mesmo C. Aznavour voltou a fazer o mesmo, recentemente, com Kátia Guerreiro, sem nunca, em 50 anos, se ter apercebido da existência de Carlos do Carmo ou da Semi-Lusa? Porque será? Que disparate é esse do "Centro Histórico de Guimarães estar sempre impecável, sempre limpo, sempre cuidado, sempre retocado, sempre, sempre, sempre!" (palavras de C. Carmo)

Será que a Candidatura do Fado é para a UNESCO obrigar o "Museu" - Barraca do Fado da Guitarra do Contrabaixo e da Sinfonieta - a estar sempre limpinho, retocado e conservado? Será que a UNESCO vai criar a ASAE do FADO por motivos de higiene no Museu da Juventude, nas Casas de Fado e nos Fadistas? É para isto que querem a Candidatura? Antes de publicar este tipo de entrevistas, desalmadamente anormais e mentirosas, a Hardmusica devia saber que para além das versões em francês de "Lisboa não sejas francesa", "Vou dar de beber à dor", "Coimbra", "Canção do Mar", etc., etc., cantadas por Ivette Giraud, Hellene Segara, Sara Brightman, etc., já em 1949, há portanto 60 anos, no dia 14 de Abril desse ano, no jornal francês "Les Nouvelles Litéraires" o grande jornalista da cultura universal Robert Kemp, referindo-se a AMÁLIA, dizia com o título "Découvert do Fado" o que passo a transcrever: "não compreendo nem uma das traiçoeiras palavras. Mas no belo rosto que a dor crispa e empalidece, a que um ímpeto de amor ou uma surpresa de prazer dão cor, vemos passar todos os estados da paixão. Os seus arrulhos de rola são confissões. Tem um fôlego inesgotável que aquece o fim das frases, num timbre gutural que professor algum cinzelou. Um timbre gutural, carnal, mais ligeiro do que o de Damia. O próprio timbre da língua portuguesa que rola em R os Ls e os Is das outras línguas românticas cujas asperezas são carícias."

Portanto, se não vivêssemos num País desgovernado por um bando de galinhas sem cabeça, o Sr. Carlos do Carmo, já há muito teria sido patriotica e culturalmente fuzilado!

 

Palavras da Salvação

A Bem da Nação Fadista

Fernando Zeloso

Contacto com o autor: clicando aqui
publicado por Vítor Marceneiro às 17:47
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Desnatado a 12 de Setembro de 2009 às 17:06
Com tanta polémica sobre um assunto, que ao ser apresentado á "Unesco", para todos nós seria um orgulho, fosse aceite ou não, e nada se passaria de extraordinário, a não ser, entender o porquê da recusa, como fizeram aliás, os Argentinos quando propuseram o tango, que foi recusado, e teríamos obviamente de elogiar as pessoas que o tentaram.
Este projecto que na realidade começa com uma sugestão de Santana Lopes, logo foi aproveitado pelo Carlos do Carmo para chamar a sim os louros do mesmo, e assim nasce logo polémica , este projecto terá de ser de intervenientes no Fado, nomeadamente, de quem cá anda há muitos anos a cantar, a escrever poemas, e daqueles que como você e muitos mais, vão aprofundando dados para a história do Fado. Mas CC para dar asas à sua vaidade desmedida, logo se apropriou da ideia com a conivência de um grupinho, auto nomeou-se embaixador com a Mariza, ou nomearam-nos add-doc, tudo muito confidencial, exceptuando um tal Congresso Internacional, que nunca se soube em que ficou, mas era esse sim para por poeira nos olhos, e até hoje das conclusões do mesmo.
Que “documentação” vai ser apresentado à "Unesco"?, porque pela conduta do C.C., e da sua assessora Dr.ª Sra. Pereira, tudo leva que o Fado que vão apresentar à "Unesco" é o historia do Carlos do Carmo, com o aval do Rui Vieira Nery, é que internacionalmente CC, nem é conhecido, cantou para as comunidades de portugueses espalhadas pelo Mundo, como homem culto que é, até falava sempre na língua do país onde se deslocava, o que deixava os nossos compatriotas estupefactos, pensavam, que talvez estivessem também na plateia naturais do país... se estavam sabe-se que eram muito poucos, mas há quem estando nos bastidores afirme que CC , muitas vezes comentava "isto de dar pérolas a porcos!" cada um tire a ilação que entender.
Caro amigo vou-lhe explicar porque é que CC utilizou o termo "Natas da Sociedade", porque é aquilo que ele sente que é, Carlos do Carmo não tem a simpatia da esmagadora maioria do povo e em especial das pessoas do meio do Fado, para a "Nata do antigamente" é um traidor, para uma nova "Nata pseudo-progressista" que o vão bajulando ele é "escadote", para os “desnatados, leia-se povo” é um oportunista.
Não pense que não tem muita gente atenta ao tratamento que têm dado ao projecto “Lisboa no Guiness”, que você, e muito bem sempre afirmou que gostaria que fosse um projecto unitário e o que o único protagonista fosse Lisboa e O Fado.
Não desista as visitas ao seu trabalho falam por si, hoje as suas páginas são uma referência no “Google”
Um desnatado, mas pobre e honrado
De MJP a 12 de Setembro de 2009 às 21:24
LISBOA NO GUINESS, 6a,feira-11-Set.-2009
( Por Vítor Duarte Marceneiro )

Vitó,

... O Fio desenrolou a meada, vertiginosamente, à "nata" e à "não nata"...
O blá,blá,blá acresceu-se e, rasgadamente, puseste "os pontos nos is" andando na história dessa história de mta. lata e de carência de "nata d'alma"... - GRANDE CORRIDINHO SEM EIRA NEM BEIRA!!! -
Levar a VIDA PELOS CARRIS é OBRA-de-ENGENHARIA !!! -- PARABÉNS POR TI! --
Beijinhos. Eu.

De Amantes_Imortais a 1 de Outubro de 2009 às 15:38
Sinto tanto rancor nesta sua "posta" que me pergunto até que ponto essas tricas irão desmotivar alguns de nós a seguir mais de perto a história do Fado. Imagine, comentários como o seu, por certo que me atravessam a memória cada vez que oiço um bom Fado...e acredite, estraga a mistica...se é esse o seu objectivo, parabens! Tenho pena, o seu blog está muito bem conseguido e constitui uma biblioteca on line para que muitos como eu possam aprender. Mas já não é a primeira vez que passo por cá e leio palavras de rancor. Deixo apenas este comentário para que saiba que por mais razão que tenha, a forma como coloca os factos não abona muito a seu favor. E quem está de fora fica mesmo com uma péssima ideia de si, do blog e até do Fado...cuja unica coisa bela que tem é o que se vê e ouve...o que está nos bastidores ao que tem demonstrado é muito dagradante...
De Vítor Marceneiro a 1 de Outubro de 2009 às 17:36
Poder expor ideias num blogue aberto é democracia, mas parece que só conta para si.
Pelo menos fiquei contente ao saber, que vem às minhas "postas" aprender algo de Fado, mas também acha que deixo mal o Fado...!!!
Quando ouve um Fado é tal a minha influência, que até lhe vem à memória o meu blogue, amiga Cláudia eu não mereço tanto, ou acha que eu devo estar calado quando dizem que este meu trabalho de nada vale e colocar Lisboa no Guiness como a cidade mais cantada do mundo... é uma vergonha!!
Enfim Claudia... o que lhe poderei dizer?
Não sei se alguma vez comentou as calúnias que fazem, em jornais, revistas e até em espectáculos a meu respeito, e que eu não posso responder?
Não tenho rancor a ninguém, tenho é asco aos mentirosos e oportunistas e seus seguidores.
Cumprimentos
Vítor Duarte Marceneiro
PS. Ser democrata não é ser estúpido, portanto não alimentarei mais esta discusão.
De Nunes Ribeiro a 2 de Outubro de 2009 às 20:30
Cara senhora/menina Claudia TP
Teria toda a razão se como eu tenho feito, ou seja o instigasse " Deixa isso, os cães ladram e a caravana passa" mas não você não percebeu o estado de alma, de quem tem Fado até à medula, como é o caso deste homem, que tem o coração ao pé da boca, já assim era na sua vida profissional. Deu-se ao luxo de dizer que quem lê os seus lamentos fica com má impressão dele! Mas por outro lado aprende com este blogue o Fado, mas afinal não gosta do que se passa nos bastidores, (julgava que eram todos santos) olhe que ele e muitos de nós também não gostamos, mas denunciamos, como denunciámos quando era perigoso fazê-lo.
Por acaso já viu a página que há sobre o Carlos do Carmo, e da mãe, a grande Lucília do Carmo que este publicou aqui no blogue, acha que isso é rancor!
Talvez um dia tenha hipótese de conhecer pessoalmente (ou será que já conhece?) o Vítor, e terá decerto ficará com outra ideia seu respeito.
Como disse este blogue é uma biblioteca do Fado, muito bem feita, e muito invejada, criou muitos inimigos, o que em Portugal e no Fado e em muitas coisas da vida, pode ficar ciente que são sinais que só demonstram a qualidade. Eu sou amigo do Vítor há mais de 50 anos, portanto nem admito que pensem que escrevi estas palavras para o adular, pois já recebeu muitas de reparos, que soube aceitar, é um homem de bem.
Continua Vítor, mas modera pois eles nem merecem que te aborreças, talvez fosse isto que a Claudia queria dizer...
Até sempre
Nunes Ribeiro
De MARGARIDA CERVEIRA a 2 de Outubro de 2009 às 22:09
- À CLAUDIA -
Escrever sem amor próprio degrada...
O autor destrata-se e o leitor, se tiver gosto e bom senso, lamenta e desvaloriza!
Nessa medida, lastimo a abordagem pelo teor da linguagem e pela sequência contraditória do discurso.
A Palavra é séria e indelével, marca irremediavelmente quem a traça...
LISBOA NO GUINESS, é UMA OBRA BONITA !
Pedagogicamente serve o País e leva-o Mundo fora...
A História do Fado e das Cantigas a Lisboa
é uma alínea da História Global do nosso Povo...
É um trabalho exigente que carece de metodologia, empenho, lucidez, trabalho e verdade objectiva...
Assim, quem leva a cabo um trabalho desta natureza tem que cortar a eito: - O QUE É, É ! O QUE NÃO É, NÃO É !
A HISTÓRIA É UM CONJUNTO DE
FACTOS ORDENADOS, DOCUMENTALMENTE
ANALISADOS E COMPROVADOS, ... sabia ?
Margarida Cerveira.

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags