Quinta-feira, 1 de Outubro de 2009

DIA INTERNACINAL DA MÚSICA - 1 - 10 - 2009

Saúdo os músicos de todo o sempre...Como seria o Mundo   se não houvesse música...

Para homenagear este dia, tenho o prazer de apresentar novamente um vídeo clipe do meu querido amigo Maestro Rui Serôdio, interpretando o Fado Cravo (ou Viela) ao piano, como sabem do meu saudoso avô ALFREDO MARCENEIRO

 

 

 

No dia 20 de Setembro fiz uma página sobre a história deste Fado, e lamentei não ter o original cantado pelo meu avô, mas o meu amigo Fernando Pedroso tinha esta preciosidade nos seu arquivos, que tinha captado num programa de RDP.

É retirado de um disco de massa dos anos 40, pelo que a qualidade sonora não é a mais perfeita, é interessante verificar ainda, que os versos também foram encurtados, já tinha começado a exigência das editoras, que não queriam que os Fados tivessem mais de 3 minutos.

Alfredo Marceneiro

canta Fado Cravo

 

 

 

Aproveito também este dia para esclarecer umas dúvidas que sei têm alguns investigadores (embora nunca o discutissem comigo), sobre a origem/história de duas músicas da autoria de meu avô:

 

O FADO CUF

O FADO MARIA MARQUES

 

 

O Fado CUF, foi criado para um poema de Armando Neves, "O Marceneiro" , que ele considerava o seu cartão de visita cantado.

Foi feito em 1937 ou 1938, e Alfredo Marceneiro ainda era funcionário dos estaleiro navais, administrados por Alfredo da Silva (CUF).

Foi Casimiro Ramos o guitarrista que com ele ensaiou o tema e o ajudou simultaneamente no registo.

Praticamente na mesma altura Henrique Rego escreve-lhe o poema "A Minha Freguesia", em que Casimiro Ramos não tem dificuldades em lhe fazer uma música bem ao seu estilo o "Fado Margaridas", que algumas pessoas por vezes pensam que é de Marceneiro.

 NOTA: Quer o Fado CUF quer o Margaridas foram feitos nos anos 30, no entanto nos anos sessenta meu avô grava para a Casa Valentim de Cravalho ambos os Fados, só que pela razão que só ele saberia explicar, gravou o CUF no poema A Minha Freguesia, e o Margaridas no poema O Marceneiro.

Quanto ao Fado Maria Marques, o que passo a  expor, é a versão real.

Meu avô era um homem discreto, nunca lhe conheci uma namorada (ou amante como se dizia na época), e nem o meu pai ou meu tio alguam vez se referiram a este assunto.

Ora sabemos que Alfredo, era um homem que teve as suas aventuras, em jovem, teve filhos de três mulheres incluindo a minha avó.

Já quarentão decerto que teve as suas paixões, mas nunca se exibiu nem as exibiu. Já eu homem feito, contou-me que teve uma paixão por uma senhora, que  morava ali para o Chile. Foi por esta altura que me contou que tinha pedido ao seu compadre Henrique Rego, que lhe fizesse uns versos para dedicar a uma amiga (era um segredo deles), "O TEU VESTIDO AZUL" cantou os versos no seu estilo e nasceu mais um Fado em Versículo,  a que deu o nome de Maria Marques ( era o nome da tal senhora, que ninguém conhecia). Como havia uma fadista que se chamava Maria Marques, alguém associou o título a essa pessoa, mas   não foi assim, meu avô não tinha nenhuma ligação de amizade, ou outra, com essa fadista, para lhe dedicar um Fado.

 

Meu avô,  deixou de cantar este Fado, mas o meu tio Carlos cantava-o na Cesária e gravou para o Valentim de Carvalho, assim como eu também.

 Carlos Duarte

canta O teu Vestido Azul

 Vítor Duarte

canta O teu Vestido Azul

 

 

Meu pai sabedor da intencionalidade do poema ,  gostou do mote, mas achou que não o devia cantar, e pede ao Henrique Rego que lhe escreva um poema diferente, visando o mesmo tema  vestido/cor, e assim canta e grava  "Vestido Azul"  versos em quadras de Henrique Rego, mas na musica do Fado Pajem.

 Alfredo Duarte Júnior

canta Vestido Azul

 

 

 

 

Contacto com o autor: clicando aqui
música: Fado Cravo
publicado por Vítor Marceneiro às 12:12
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Maria José Praça a 1 de Outubro de 2009 às 19:53
...Se o Mundo se vestisse de MÚSICA, a brandura da VIDA seria outra !

Redondamente leiga no saber explicado d'O FADO, agradeço o que expões sobre Os Fados CUF e MARIA MARQUES...
Com LISBOA NO GUINESS - A CIDADE MAIS CANTADA DO MUNDO, começo a sistematizar aprendizagens... OBRIGADA!
Um beijinho. Eu.

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags