Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

GABINO FERREIRA - Fadista da "Velha-Guarda"

Acabei de retirar toda polémica levantada pelo simples e bem intencionado apelo que fiz,  para saber deste meu e nosso querido amigo. (Não destruí o que foi escrito, mas coloquei nos comentários, pois é sempre relevante poder consultar estas manobas dos...).

Domingo dia 14 estive em casa do Gabino na companhia de  sua filha Liliane, está bem de saúde e completamnte lúcido. Como é óbvio não falei do que se tinha passado, mas ele tinha ouvido uns "zuns-zuns" sobre a sua morte, e relataram-me que no principio da semana tinham recebido um telefonema do Museu do Fado só para confirmarem a data do nascimento dele.

Percebe-se não é? O Museu do Fado conhecia o contacto do Gabino, soube talvez através deste blogue esta dúvida, confirmou com bastante lisura, que ele estava bem, mas não mereci sequer um telefonema para ajudar ao esclarecimento, que não eu sómente, mas as pessoas que visitam este blog merecem algum respeito, e sempre estive á disposição do Museu do Fado para qualquer informação que eu pudesse dar, como já recebi pedidos de informação por indicação do Museu.

 

Em 2007 relembrei neste blogue, este  grande fadista, tive a oportunidade no final desse mesmo ano estar com ele como se vê na foto, que foi gratificante o que me disse sobre a minha prole.

Infelizmente perdi o seu  contacto e não mais soube nada dele.

Espero que ainda esteja entre nós e de boa saúde apesar dos seu 88 anos.

Se alguém souber do contacto do Gabino Ferreira ou algo  sobre ele ficaria muito grato.

 

 

 GABINO FERREIRA

TEM POR DIREITO E MÉRITO PRÓPRIO UM LUGAR NA

HISTÓRIA DO FADO

   

Gabino Ferreira canta " O Fado Está Doente"
Letra de: Carlos Conde
Música : Gabino Ferreira

 

Gabino Ferreira nasceu  a 13 de Novembro de 1922, na freguesia do Bonfim.

Aos 14 anos começa a cantar  o fado em festas nas colectividades e de  beneficência

Aos 16 anos estreou-se  no Café Portugal, chamado a  "Catedral do Fado" portuense,  e foi sendo solicitado para actuar noutros locais, por esta altura até lhe chamam o “Miúdo do Bonfim”.

Em 1940  com 18 anos é tal o seu prestígio que é convidado a actuar no espectáculo "Glória a Portugal" apresentado no Porto, em vários recintos, em comemoração do aniversário da Fundação e da Restauração da Nacionalidade.

Em 1942, com vinte anos, decide vir para  Lisboa, estreando-se na Esplanada Luso (ex. Retiro da Severa),  mais tarde é contratado para  Café Luso, já na Travessa da Queimada, altura em que o elenco era dos mais aceites pelo grande público,  como Filipe Pinto, Maria do Carmo Torres, Júlio Vieitas, Fernando Farinha, Frutuoso França, Mário José Paninho e outros mais. Cantou também no Retiro dos Marialvas, actuou em quase todos os restaurantes típicos da época tendo finalmente sido contratado para “A Severa” como gerente artístico.

No programa radiofónico "Voz de Portugal", cantou também ao lado de Berta Cardoso, Maria Cármen, Quinita Gomes e Moisés Campelos.

­ Simultaneamente tem outra actividade profissional e opta por abandonar a vida artística profissional, numa fase da sua carreira em que era considerado um dos grandes intérpretes do fado do seu tempo. Não deixou, porém, de cantar. E hoje, quando aparece nas tertúlias fadistas continua a deliciar-nos quando canta o Fado como ele o faz.

Gravou dois discos (long play) , um em 1979,  (Fado da Velha Guarda), e outro em 1980, (Fados e Saudades de Gabino Ferreira).

Dispõe de um vasto reportório,  tais como: Quem Não Tem Mãe Não Tem Nada, Vamos Para as Hortas, Juventude, O Fado Está Doente, A Praga Que te Rogo, Ri Sempre!, A Vida É Uma Tacada, Carta do Hospital, Despedida, Esposa Ideal, Incertezas do Tempo, Três Fases (Partida, Ausência e Chegada), Lenda da Amendoeira, Até Logo!, Escravos e Donos, e Cabelo Branco e Alfama, etc.

Gabino Ferreira foi casado com Ana Lala, natural deSerpa e que também cantava o Fado, que faleceu em Outubro de 2004, facto que muito o abalou.

Gabino vive com a ilha Liliana, que com é natural o trata com todo o zelo e carinho.

Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: Saudoso
música: O Fado está doente e Alfama
publicado por Vítor Marceneiro às 18:18
link do post | comentar | favorito
14 comentários:
De Nós a 11 de Fevereiro de 2010 às 14:36
Sempre na linha da frente pelo Fado!
Calcule-se que nem uma notícia saíu; hajam estes e outros sites e blogs para que a memória perdure.
De ASL a 11 de Fevereiro de 2010 às 20:11
Caro Amigo

Não sei porquê, isto cheira-me a esturro, vamoa ver.
Penso que já sabes quem eu sou, amanhã ainda cedo receberás por mail o contacto do Gabino Ferreira e de quem com ele vive.
Coisa estranha, o Osório não é homem de embustes, gurada muito para ele, mas sei que tem respeito por ti.
A ver vamos.
Um abraço e assim que receberes a informação telefona-me para eu confirmar que te deram os dados.
ASL
De Fadista Envergonhado a 12 de Fevereiro de 2010 às 01:23
Basta interligar os textos e as datas para ver como lhe lançaram a rede, ainda bem que não caíu.
Sabe Sr. Marceneiro Neto, se um Marceneiro "o seu avô".incomodava muita gente, dois marceneiro ( o seu pai) mais incomodou, e o terceiro marceneiro que é você , não incomoda ninguem, você pela herança que recebeu faz com que os dectractores se desmascarem, é mais que incomodar, é arrasar.
Estou envergonhado com esta "emboscada" já não há vergonha nem respeito, espero que Gabino Ferreira não saiba disto, porque até a sua grande figura ofenderam.
Olhe se vai estar com ele nada lhe diga sobre isto diga-lhe sim, que ainda tem milhares de admiradores saudosos do seu cantar.
Até Sempre
Um Fadista envergonhado com tudo isto.
De negocioseriscos a 12 de Fevereiro de 2010 às 01:24
Para quem não é muito versado nestas artes de informar ou publicar sobre ocorrências quotidianas em matéria apelativa á nossa curiosidade fadista, ficamos altamente confusos com a leviandade da parte de quem é do jornalismo, ao informar, como um profissional de alto gabarito deve agir em casos graves de obituários de pessoas conotadas com uma atividade artística, e depois não fazer nada daquilo que preconiza ao deixar cáir no esquecimento temporal, a ambiguidade de uma situação para quem ainda é vivo, e se vê arrastado por incúria e desleixo profissional, para uma morte prematura.
De ASL a 12 de Fevereiro de 2010 às 11:09
Vitó, sei que já tens os dados sobre o Gabino Ferreira, desde as 9 da manhã, avança.
Recebi também o email da hardmusica, está muito bem, mas... tu sabes ler nas entrelinhas e somar 1+1... mesmo em cima da hora..
Um abraço
ASL
De sm a 12 de Fevereiro de 2010 às 14:50
Pois isto de se ser jornalista de Internet é complicado e por vezes dá em confusões, umas vezes graves outras nem por isso, mas já dizia o outro : a César o que é de César.

Na noticia do jornal Hardmúsica vem como sendo o autor deste blog o J. M. Osório, que não é, mas sim o Vitor Duarte "Marceneiro". É o que dá "jornalisticar" sem "investigar"...

Transcrição do dito jornal:
"Com o seu profissionalismo e os seus méritos de "fonte fiável" J. M. Osório, esteve durante todo o dia em contactos com conservatórias, pessoas que lidaram com o Gabino etc. ... a deslindar todo o assunto».
O estudioso do fado tem ainda no seu blog - http://lisboanoguiness.blogs.sapo.pt/ - uma biografia do fadista cujo último disco que gravou, segundo apurámos foi precisamente o LP, em 1979, “Fado da Velha Guarda”, com Júlio Vieitas, Frutuoso França, Júlio Peres, José Coelho e Manuel Calisto. Marceneiro no seu blog refere ainda um LP de 1980 constituído por êxitos seus. "
De Vítor Marceneiro a 12 de Fevereiro de 2010 às 15:07
Caro amigo.
Agradeço o seu contacto.
Mas se verificar bem (embora o não estar entre "aspas" possa devido aos parágrafos, fazer alguma confusão) que o que a articulista transcreve é o que eu escrevi sobre J.M.Osório no meu blogue, e não lhe atribui autoria do mesmo.
Um abraço
Vítor Marceneiro
De Carlos Sintra a 12 de Fevereiro de 2010 às 15:33
Pois é, mas a verdade é que no dia que prestou a informação, estive num "chat" e falei do Gabino Ferreira que eu nunca tinha ouvido falar, assim como alguns dos outros intervenientes, ouviram-no cantar no seu blogue e ficaram tal como eu deleitados. Ontem já algumas pessoas o acusavam de pouco rigoroso, fiz ver que não era assim, mas muita gente haverá que ficarão com essa impressão.
Portanto caro senhor tenha mais atenção aos pretensos amigos, tenho seguido este seu trabalho, pois adoro Fado e consequentemente vou a outros sites e blogs, e por isso quero expressar-lhe, que você é entre todos o genuíno, por isso o usarem contra si, a técnica dos invejosos/medíocres do "bota-abaixo".
Felicidades
Carlso Sintra
De Vítor Marceneiro a 15 de Fevereiro de 2010 às 16:19
"ESTE ASSUNTO MERECEU JÁ HOJE (MESMO EM CIMA DOS ACONTECIMENTOS) UM ARTIGO DE INEZ BENAMOR NO PORTAL HARDMUSICA...Interessante e elucidativo... http://www.hardmusica.pt/noticia_detalhe.php?cd_noticia=4330"
"CÁ ESTÁ MAIS UM FADO DOS MEUS FADOS...
Verifiquem nos comentários a esta página, o que um amigo meu afirma: Que tudo isto... as trocas de nome, de datas, etc., lhe cheiram a "esturro".
Pensei que estava a exagerar, porque é um amigo que muito estimo, e que muito me estima também, portanto preocupado com certas f.d.p. que me vão fazendo. É uma pessoa bem formada e com capacidades para cumprir o que prometeu, ou seja: Amanhã de manhã haverá alguém que me vai enviar por email a localização completa e inequívoca do paradeiro de Gabino Ferreira, não será uma inconfidência pois eu já tinha esses dados, fornecidos pelo próprio, mas não encontro onde os anotei.
"Mas cá vou mais uma vez ter que agradecer a DEUS, que vai velando por mim, e dando uma ajudinha a desmascarar certas “sacanices”, com que me vão presenteando. Eu fico triste, mas depois lá tenho que verificar que estes… não digo porque estou a falar com DEUS."
Senão vejamos, no dia 8 p.p. recebi um telefonema do Francisco Mendes, a dizer-me que lhe tinha constado que o Gabino Ferreira tinha falecido, se eu confirmava. Obviamente que não sabia de nada porque se assim fosse eu tinha publicitado o evento aqui no blogue.
Fiquei muito triste porque se tal facto fosse verídico, este grande fadista que tanto admiramos, não tinha recebido uma justa homenagem na sua partida.
Tentei pesquisar, fiz vários contactos, pesquisei na internet mas não encontrei nenhuma pista, e foi assim que no dia 9 p.p. ás 18:18 horas, repus a pagina da biografia do Gabino Ferreira, com a solicitação de pedido de informações a quem as tivesse, o que aconteceu, como abaixo está descrito.
Mas há pouco ligaram-me via Skype a indicarem-me, para ir ao blogue da minha amiga Ofélia –http://fadocravo.blogspot.com e ler os comentários que estão apensos na página da MARIA AMORIM.
Assim fiz e sem mais comentários deixo á vossa apreciação: ver blogue Fado Cravo
... Só soube da morte do fadista que ainda cheguei a conhecer (calcule-se!) – e a título particular – cerca de três meses depois.
N Lopes
E hoje esta: às 7:54 horas PM
NL disse...
Curioso, fui hoje (11 de Fevereiro) informado pela presidente da APAF, Julieta Estrela de Castro que o Gabino Ferreira fadista está vivo e bem. Informação colhida por J. M. Osório - todas as pistas vão dar ao José Manuel - Gabino Ferreira vive em Paranhos e desejo que por mais alguns anos!
A troca de identidade terá sido eplo facto de haver outros Gabinos de apelido Ferreira.
NL
AS ATITUDES FICAM PARA QUEM AS PRATICA,
E RELEMBRO O CONSELHO DE MEU AVÔ...
VITÓ, OS CÃES LADRAM MAS CARAVANA PASSA
De Vítor Marceneiro a 15 de Fevereiro de 2010 às 16:20
FELIZMENTE NÃO É VERDADE... GABINO FERREIRA ESTÁ ENTRE NÓS, VIVE NA COMPANHIA DA FILHA QUE POR ELE ZELA COM MUITO CARINHO DE CERTEZA
O que se passou:

Hoje desde muito cedo estive fora de casa e portanto sem acesso á internet e ao blogue, eram cerca de 18 horas vinha em viagem para casa e recebi uma chamada no telemóvel ( tenho sistema de bluetooth) era o José Manuel Osório, a informar-me que devido a um erro da Conservatória de Ermesinde, que lhe forneceram uma confirmação de óbito de um individuo Manuel Gabino Ferreira da Silva, (paz á sua alma), mas na realidade não é o nosso Gabino Ferreira.
Pelo facto pedimos desculpa, mas deixem que vos conte parte da nossa conversa de ontem, que demonstra que há sempre algo que nos"faz torcer o nariz" quer eu, quer o José Manuel Osório falámos que havia um pormenor na referida certidão de óbito que era muito estranho!, é que a pessoa em questão, constava que tinha nascido em 1930, falámos desta incongruência, pois todos nós temos a indicação que foi em 1922. Eu lembrei que ele o "nosso" Gabino Ferreira, era da idade do meu pai, mas pode sempre haver erros de registos.
Com o seu profissionalismo e os seus méritos de "fonte fiável" J.M.Osório, esteve durante todo o dia em contactos com conservatórias, pessoas que lidaram com o Gabino etc... a deslindar todo o assunto e hoje, estamos aqui a desmentir o que ontem foi afirmado.

Era cerca da meia-noite, fui honrado com um telefonema do meu querido amigo, o Fadista, Investigador e grande divulgador das "cousas" do Fado, José Manuel Osório, que me informou que o nosso grande fadista Gabino Ferreira, faleceu no dia 26 de Outubro de 2009. Estava a viver em Paranhos e lá ficou na sua última morada.
Fiquei também a saber que o seu nome completo era Manuel Gabino Ferreira da Silva.

De Miguel Carrelhas a 3 de Abril de 2010 às 19:20
É verdade realmente que o meu avô continua de boa saúde e apesar dos seus 88 anos e de já não cantar o Fado desde o falecimento da minha avó continua a admirar não tão somente o seu Fado como o seu Benfica que sempre lhe vai dando algum alento e animo!...Todas estas notícias do seu pressuposto falecimento apenas serve como glamour para uma pessoa que realmente merece essa justa homenagem em vida... Para todos os que sempre buscam a verdade um bem hajam...
ass.Miguel carrelhas
De Vítor Marceneiro a 3 de Abril de 2010 às 19:48
Obrigado Miguel
Se Deus quizer brevemente lá estarei conforme combinado com sua mãe a abraçar o seu avô, e decerto aprender ainda muito com o que ele tem para nos contar.
Boa Páscoa
Vítor Marceneiro

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags