Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015

FRANCISCO PERES ANDIÓN - PAQUITO

Mais conhecido por Paquito, nasceu em 10-2-1935 em Vigo. Faleceu em Lisboa a 27 de Novembro de 2004.

Veio para Lisboa com 12 anos de idade. Seu tio Paço explorara o retiro do Charquinho e o seu avô Jesus abrira a Adega Perez na Rua Conde de Valbom, de que o pai, Manolo, foi o continuador e onde havia fado vadio. Aí Paquito conheceu poetas populares como Henrique Rego e Radamanto, cantadores e cantadeiras como João Maria dos Anjos, Júlio Proença, Júlio Vieitas, Fernando Maurício, Manuel de Almeida. Maria Marques e Fernanda Maria, que foram dos primeiros com quem contactou. E foi lá também que começou a interessar-se pela viola.

A Adega Perez transformou-se depois no restaurante típico Retiro Andaluz, e surgiu ali uma espécie de tertúlia onde cantadores e instrumentistas se juntavam para cultivarem o fado a preceito. Foi nesse ambiente que Paquito, então ainda a estudar, pôde desenvolver a sua aptidão, e com 19 anos de idade fazia a sua estreia como violista contratado pela Parreirinha de Alfama.

Numa primeira tournée, acompanhou Alberto Ribeiro em vários espectáculos através do País, participou em programas da rádio, gravou discos e tocou em casas de fados. Após a sua passagem pela Parreirinha de Alfama, esteve na Viela, na Tipóia, na Toca e em tempos mais recentes no Senhor Vinho.

Considerado, com inteira razão, um dos nossos melhores violistas, Paquito actuou no estrangeiro em espectáculos com Amália Rodrigues e outros artistas, designadamente na França, Inglaterra, Alemanha, Itália, Suíça, Polónia, Roménia, Suécia, Dinamarca, Israel, Japão, Estados Unidos, Canadá, Brasil, África do Sul e Venezuela, assim como também actuou em Angola, Moçambique e Guiné-Bissau.

Nos últimos anos esteve contratado no "Embuçado"

Paquito que muito acompanhou o meu avô , quer como músico, quer como companheiro, gabava-se com muito orgulho de ter tocado para o "Ti Alfredo" ainda andava de calções.

in: Lisboa O Fado e os Fadistas de Eduardo Sucena

 

 

 

"Uma morte sempre se lamenta". Isto é bem verdade. ´"Não há pessoas insubstituíveis".

 Isto é uma irritante mentira. 

 

No que diz respeito ao fado, a morte do Paquito, após prolongado calvário — que o signatário acompanhou —, constitui uma perda irreparável. Se podemos dizer que o fado teve, até hoje, 5 ou 6 violistas que deixaram escola, este galego de Vigo, Francisco Perez Andión, o Paquito, está seguramente à cabeça dessa restrita lista, ombreando com Martinho d' Assunção e Jaime Santos Jr., tendo como guarda de honra Pedro Leal, Alfredo Mendes e Júlio Gomes.

Acompanhou a maior fadista de todos os tempos, Amália Rodrigues, durante alguns anos e gravou com ela, entre outros, um dos seus melhores álbuns, "Amália no Canecão" (ao vivo).

Foi amigo e também acompanhou um dos maiores fadistas de sempre, Carlos Ramos, e chegou a tocar para o grande mestre Alfredo Marceneiro, de quem se tornou igualmente amigo - era muito difícil conhecer o Paquito e não se ficar amigo dele -, captando-lhe o seu pitoresco modo de falar e os gestos característicos que acompanhavam a fala, não havendo, infelizmente, registo desses inesquecíveis momentos. Fez parte dos elencos das melhores casas de fado de Lisboa, com realce para a "Taverna do Embuçado" dos anos 60 e para o "Sr. Vinho", duas décadas mais tarde.

 Mas é nos registos de instrumentais da música fadista, vulgo "guitarradas" ou "variações", que a sua arte e a sua técnica magistral vão perdurar para todo o sempre. As melhores gravações de Jaime Santos, José Nunes, José Fontes Rocha, Pedro Caldeira Cabral ou Ricardo Rocha têm o seu contributo -- com realce para esta última.

O signatário, seu amigo e colega de palco de longa data, nos vários recitais que lhe pediram para organizar a lembrar Amália, chamou-o naturalmente para todos eles, e os fadistas que também convidou tiveram a honra e o prazer de serem por ele acompanhados, como foi o caso de Mariza (na sua estreia perante o público português), Camané, Mafalda Arnauth, Maria Ana Bobone, Maria da Fé, Paulo Bragança, Carlos do Carmo, António Pinto Basto, Ana Sofia Varela, Katia Guerreiro (igualmente na sua estreia nacional), Ana Moura (idem), Gonçalo Salgueiro (ibidem), Maria Armanda, Teresa Tapadas, Carlos Zel, Cristina Branco, Margarida Bessa ou Nuno Guerreiro, entre muitos outros. Até mesmo Teresa Salgueiro teve essa honra no Garcia de Resende, em Évora, em 1990, quando a convidei para interpretar dois fados num concerto meu.

Paquito foi, além de tudo isto (como se fosse pouco), um homem cheio de humor, um amigo irrepreensível, e um contador de histórias — é lamentável que nunca tenham sido registados os inúmeros episódios que ele relatava, com uma mímica insuperável, na sua roda de amigos e colegas, apesar de ter o signatário pedido insistentemente aos responsáveis pelas estações de rádio e de televisão para que o fizessem. Seria uma contribuição oral inestimável para quando um dia se escrever, finalmente, alguma coisa parecida com a história do fado. Paciência. 

Era bonito que os poderes instituídos homenageassem, agora a título póstumo, o galego que mais dignificou o fado.

Que o nosso querido Paco (o "Paquirri", como sempre o tratei) descanse finalmente em paz. 

Bem hajam.

 

João Braga

 

 

Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: AH! Paquito -Fadista
publicado por Vítor Marceneiro às 00:00
link do post | comentar | favorito
Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Site Portugues
Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

bairros de lisboa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

fernando farinha

fernando maurício

fernando pessoa

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags