Segunda-feira, 28 de Novembro de 2011

ANA MARIA DIAS - FADISTA NEGRA - FALECEU ESTA MADRUGADA

CHORAI FADISTAS,  CHORAI...ANA MARIA DIAS A "FADISTA NEGRA" , FALECEU...  

ESTIVE COM ELA NA PASSADA QUARTA-FEIRA DIA 23 PARA LHE MOSTRAR O VIDEO-CLIP QUE LHE TINHA FEITO, GOSTOU IMENSO IMENSO,  E LOGO AQUI PUBLIQUEI COM A SUA BIOGRAFIA  NO DIA SEGUINTE.

HÁ CERCA DE 10 MINUTOS  RECEBI ESTA TRISTE NOTÍCIA,  QUE ANA MARIA, TINHA FALECIDO ESTA MADRUGADA, ESTAVA A TRABALHAR NA TAVERNA DEL´REI, SENTIU-SE MAL... E PARTIU... ESTARÁ DECERTO JUNTA COM OS SEUS ENTES QUERIDOS QUE TAMBÉM JÁ TINHAM PARTIDO.

DESCANSA EM PAZ ANA MARIA, FICARÁS NA HISTÓRIA DO FADO

 

Ana Maria Gonçalves Dias,  nasceu em Luanda a 23 de Outubro de 1952 no bairro da Samba.

Desde os 4 anos de idade que   foi  educada  juntamente com portugueses da Metrópole,  o que lhe proporcionou   não ter sotaque africano,  a falar o português, exprimindo-se correctamente, quer oralmente, quer gramaticalmente.

Desde sempre que se lembra da mãe  a cantarolar Fados, enquanto fazia as lides da casa,  e, naturalmente os temas ficavam-lhe na memória, começando também, a cantarolar com ela.

Tinha 10 anos,  foi a um  concurso em Luanda, que se realizava no Cinema Restauração, era  o programa “Chá das Seis” , tendo ficado em primeiro em 1ºlugar, com apreço e unanimidade.

Por esta altura, estava-se  em 1962,   estava radicado em Angola,  o Maestro Casal Ribeiro, que ao ouvi-la,   logo se propôs dar-lhe aulas de canto, ensino e exercício da colocação da voz,  que durou cerca de nove anos, mas   entretanto,  já era muito solicitada para actuar em espectáculos.

Corria o ano de 1975,  parte para Portugal, e fixa-se em Santarém. Arranjou trabalho numa sapataria mas continua a cantar o Fado sempre que tem oportunidade.

Integrando-se cada vez mais na na comunidade portuguesa, cedo começa  a ser solicitada para cantar em certames com Fado,  sendo bastante aplaudida.

Em 1981 vem para Lisboa,  foi de imediato  contratada por João Ferreira da  Rosa, à altura proprietário  da Taverna do Embuçado, onde se manteve vários anos. Mais tarde transitou para a Taverna Del-Rei, pela mão de Maria JóJó.

Em 1987 é convidada a ir para o Porto actuar  no Mal-Cozinhado, cujo proprietário era o Zé Martinho.

É no Porto que ana Maria conhece  quem viria a ser seu marido e de quem  teve um filho,  era o Joaquim Dias,  filho do fadista Manuel Dias.

Volta para Lisboa e após o parto, está uns tempos sem cantar.

Mal se sente em condições, retorna à  Taverna Del-Rei, onde se mantém até aos dias de hoje.

Ana Maria ou Ana Maria Dias faz questão de se apresentar como a “Fadista-Negra”

Hoje em dia é usual, os fadistas por acordo dos proprietários das casas de fado, actuam intercaladamente entre umas e outras, razão pela qual, a encontrei numa ida ao  Restaurante Típico Guitarras de Lisboa,  o que me deu a oportunidade de realizar o vide-clip que se segue, julgo mesmo que será o primeiro que Ana Maria passa a ter no Youtube, filmado e gravado ao vivo, já lá tem um,  realizado pela  minha amiga “TiaMacheta”, com base em fotos,  e como é habitual no que ela faz, está muito bem conseguido.

 

Vítor Marceneiro

 

 

 

FILMADO EM ALTA DEFINIÇÂO "HD", SE NÃO VIR A JANELA COMPLETA, ACTIVE A JANELA PARA VER EM "ECRAN" INTEIRO

Ana Maria Dias - Fadista Negra

Canta: Zanguei-me como o meu amor

Letra: João Linhares Barbosa

Música: Jaime Santos

Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: Sinto-me triste
música: Zanguei-me com o meu amor
publicado por Vítor Marceneiro às 14:52
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De MLeiria a 26 de Novembro de 2011 às 07:30
Ao vivo é que é!, mas eu não tenho essa possibilidade e lá vou fazendo o meu melhor para homenagear e recordar grande parte do/as fadistas, os que conheço e de quem tenho alguns registos.
Parabéns pelo vídeo
Abraço
O.
De Vítor Marceneiro a 26 de Novembro de 2011 às 11:54
Cara Ofélia

Cá para mim já hás uns anos que andamos a contribuir para a " Unidade Nacional do Fado"... nas palavras de Rui Vieira Néri!!.
Veremos o que foi descoberto sobre o "Fado", que se mantém no segredo da "Comissão Cientifica", para nós aprendermos, porque, aquilo que sabemos damos a conhecer a toda a gente interessada, e como somos clonados...
Beijos

Vítro
De MLeiria a 28 de Novembro de 2011 às 08:02
É verdade. Eu iniciei o Fadocravo em Abril de 2005 e tenho dado muito do meu tempo em prol desta causa, sem qq remuneração nem reconhecimento. Apenas por gosto, como o Vitó, o que nos dá algumas vantagens, porque bem diz o povo "Quem corre por gosto não cansa". Os outros irão cansar-se; basta que se acabe ou não chegue a vir o Capital... :-)
Sabe quem constitui a "Comissão Científica", para além do homem da "Unidade Nacional do Fado"? Ou será outra União Nacional?!...
Bjinho
De Acácio Monteiro a 28 de Novembro de 2011 às 18:14
AMOR É AGUA QUE CORRE
Letra: Augusto de Sousa
Música: Alfredo Marceneiro

Vida é água que corre
Tudo passa, tudo morre
Que me importa a mim morrer
Corrida que foi tão louca
Sem esquecer que tua boca
Cantou o que era sofrer

Fado é sonho, é encanto
Queixa, mágoa, riso ou pranto
Que duns lindos olhos jorre
Mas tem curta duração
Nas fontes da ilusão
Fado é água que corre

Fado é triste lamento
Que levado p'lo vento
Ao longe se vai perder
E assim mais uma alma pura
Que parte sem ventura
Que me importa a mim morrer

Foi efémera tanta vida
No coração tão sentida
Num bulício que treslouca
Onde nasceu a diferença
Há-de viver nova crença
Adeus cabeçita louca

Tudo é vário neste mundo
Mesmo o fado mais profundo
De dia a dia se apouca
Segue a estrada triunfante
Para cair mais adiante
Por juventude mais louca

Hei-de esquecer teu amor
Ao fado encantador
Já se ouvem outros lamentos
Hei-de apagar a paixão
Que me queima o coração
Confusão de sentimentos

Glosa em Pastiche de Acácio Monteiro
De Vítor Marceneiro a 28 de Novembro de 2011 às 20:06
Pois é Acácio, como dói.. foi uma maravilha quando a filmámos, depois quando na Quarta-Feira lá fomos mostrar o filme, que ela adorou, e nunca mais esqueceremos o que nos disse... — Eu já sou negra e filmam-me sempre sem luz, até que enfim que tenho alguém que me filmou com luz suficiente para me verem.
São estes Fados que muitos não chegam a sentir...São Fados da nossa vida

Vítor
De batidasfotograficas a 28 de Novembro de 2011 às 23:27
Através do radio clube do Bié, soube que tinha ganho o prémio. Reconheço que foi merecedora, fico a ouvi-la para sempre.
As minhas condolências a família.
Grato por esta homenagem e por todas as anteriores.
Abraço
De MLeiria a 29 de Novembro de 2011 às 08:25
Nem queria acreditar, qdo ontem recebi a notícia por mail; mas, mais incrédula ainda fiquei, qdº de seguida recebo também a notícia da morte do Gabino Ferreira, na passada semana, e que ninguém noticiou, que eu saiba. Terá sido a Lusa que, ontem, difundiu a notícia, mas não dei que algum canal televisivo tivesse comunicado a ocorrência.
Dois grandes fadistas que partem. Pena que o Vitó não tenha feito com o Gabino o vídeo, que tanto desejava, mas felizmente que ainda conseguiu esse vídeo ao vivo com a Ana Mª.
Parabéns pelo seu trabalho sempre tão empenhado e obrigada por nos permitir usufruir desses momentos de proximidade com os nossos fadistas.
Bjinho
De joanacruzoliveira a 1 de Dezembro de 2011 às 21:18
que triste que fiquei tb vitor...os bons partem sempre tão cedo:(
beijinho grande joana cruz

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Site Portugues
Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

bairros de lisboa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

fernando farinha

fernando maurício

fernando pessoa

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags