Quinta-feira, 18 de Abril de 2013

ARMINDA XAVIER - Poetisa Popular

Novo livro de poesias de Arminda Xavier, foi apresentado recentemente na autarquia de Silves, "Um pouco de mim"

Arminda Xavier deu-nos a honra de se associar na "Associação Cultural de Fado "O Patriarca do Fado"


Prefácio

Desde sempre que a sua poesia em forma de suspiros da alma, ora a preto e branco ora em ais coloridos como um arco-íris de sentimentos que reflectem os gemidos do seu coração ou da sua alma – podendo dizer-se que a sua poesia é feita duma simbiose de alegrias e tristezas que emergem de zonas incognoscíveis do seu eu mais profundo ou das vivências interiores e exteriores ou de algo mais, ainda por descobrir.

Este seu segundo livro não só vai ao encontro das interrogações da autora como vai fazer parte das reflexões da maioria dos leitores que se vão identificar com essa busca.

Prof. Herrero

 

Já com  o livro em elaboração, veio à Ericeira, que não conhecia, e fez este lindo poema sobre o que viu e sentiu.


 

 


 

Ericeira - Este Mar Lindo

 

Estou escutando o teu falar

Tua voz forte e persistente

Que me convida a entregar

E entrar nas tuas águas livremente.

 

Olho ao longe e vejo gaivotas

Num esvoaçar completo de alegria

Falando entre si, com risotas

Agradecendo ao mundo este dia.

 

Vejo a espuma branca destas águas

Vejo a branca areia, onde me exponho

Cedo senti estas tristes mágoas

Tarde senti o viver dum sonho.

 

Vejo o cinzento céu que termina

E a luz deste mundo a que pertenço

Sinto perante esta grandeza, sou pequenina

Sinto a grandeza deste Céu imenso.

 

Sei que o mar e o Céu se misturam

Sei que tudo isto é obra de Deus

Acredito que todos os homens que torturam

Terão o retorno dos actos seus

 

Se eu fosse livre como a gaivota

Que corta o vento rumo ao infinito

Soltando gritos de alegria à solta

Olho a Natureza, tudo é tão bonito!

 

Só o homem que por amor Deus criou

À sua semelhança, e de verdade

Falhou na sua entrega, e desviou

Do caminho do valor, e lealdade


Recordamos a sua biografia e o seu primeiro livro.

 

 

Nasceu a 30 de Maio de 1953 em Santa Clara-a-aVelha.

Oriunda de uma família muito humilde e  com cinco irmãos, cedo sentiu na alma  as agruras da vida, ao perder a sua mãe quando tinha apenas 5 anos.

Cresceu junto do pai e dos irmãos mais velhos, mas dificuldades financeiras da família fizeram que só frequentasse a escola até à 2ª classe, facto  que não a privou do seu gosto pelas letras e uma grande vontade de aprender.

Desde muito pequena que se sentia atraída pela música e pela acordeão, mas é  na harmónica de beiços, instrumento que toca muito bem, embora desconheça as notas musicais,  sendo muito admirada ao ponto de ser apelidada  carinhosamente pelos amigos com "a gaitinha".

É uma mulher muito interessada no convívio humano, de fino trato, não volta as costas a colaborar na sociedade em que está inserida. Faz parte da direcção do Clube de Futebol de Silves.

Ao longo da sua vida tem escrito centenas de versos, os seus poemas são descrições dos seus sentimentos, queixumes, desilusões que reflectem os momento mais marcantes da sua vida.

É casada e tem três filhos.

Em 2009  numa edição se autor lança o seu primeiro livro de poemas a que deu o título de "Sentimentos", a que se reter afectuosamente como "o meu menino".

Alguns dos seus poemas já estão a ser cantados em Fado.


Arminda Xavier teve a gentileza de me ofertar um exemplar do seu livro, que me deveras enterneceu, pois para mim os seu versos são a descrição da sua vida, das suas alegrias e amarguras como se uma auto-biografia se tratasse.

Pedidos a : Arminda xavier8300 [armindaxavier53@hotmail.com]

 

 AMIZADE

 

Amizade é uma semente

Que germina,ganha raiz

Quem não a tem, certamente

Dificilmente é feliz

 

A amizade é uma semente

Ganha raiz ao germinar

é algo que agente sente

Que faz o mundo girar

 

No convívio dos amigos

num agradável jantar

torna os humanos unidos

é mais fácil o caminhar

 

caminhando nesse sentido

abrindo os braços á amizade

é meio caminho percorrido

ser amigo é ser verdade

 

ter amigos é uma dádiva

Que o universo nos oferenda

São ouvintes,confidentes

Ter amigos é uma prenda


È uma prenda sem laços

não tem fita colorida

São presos pelos abraços

Que nos confortam a vida

 

Arminda Xavier


Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: Bonitos poemas
publicado por Vítor Marceneiro às 15:00
link do post | comentar | favorito
Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Site Portugues
Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags