Segunda-feira, 4 de Maio de 2015

JOSÉ LÚCIO - Musicólogo, investigador e coleccionador de instrumento musicais

José Lúcio Ribeiro de Almeida

Nasceu em Viseu a 29 de Outubro de 1947.

Aos cinco anos começa os estudos com uma professora de piano e aos onze começa a ter lições de Viola e Guitarra Portuguesa.

Dois trabalhos publicados em vinil:” Paisagens Sonoras” e “Tunas e Trupes”.

Assistente e repórter dos seguintes programas de Rádio: “Musicando”, “Café com Leite”, “Sais de Banho”, Rock and Stock“, “Os Cantores da Rádio”, “Rádio Rural”, “Manhãs da Comercial”.

Realizador e apresentador do “Jardim da Celeste”, “Não há duas sem Três”, “Flauta de Pã” e “Meus Caros Amigos”. Director-adjunto da Rádio Renascença.

Na televisão colabora em vários programas: “Berros e Bocas”, “Jornalinho” e “Recreio dos Lisboetas”, ainda na televisão é autor/apresentador das séries infantis sobre construção de instrumentos: “Plim-Plam-Plum” e o “O Sótão do Zé”.

Investigador na área do “FADO”, faz vários Colóquios em Espanha, França e Córsega. Realizou três filmes para o Japão sobre a Guitarra Portuguesa. Aprende a arte de construir e reparar instrumentos com os seguintes construtores: Manuel Cardoso, Domingos Machado, Gilberto Grácio, João Palmeiro, António Guerra, Adelino Vicente e Miguel Rodrigues.

Exposições de instrumentos efectuadas: Óbidos (1985), Beja (1989), Lisboa (1990), Caldas da Rainha (1992), Casa Pimenta em Palmela (1993), Amadora, Casa de Fado a Viela (1994), Ericeira (1996), Sociedade Portuguesa de Autores (1997).

Ao longo da sua carreira de investigador efectua vários colóquios e cursos de construção de instrumentos em escolas secundárias. Inserido nas comemorações de Lisboa 94 realizou um curso de construção de instrumentos com a duração de um ano na Escola António Arroio.

Autor do Livro “Os Sons e Os Tons da Musica Popular Portuguesa”, editado em 1996.

Em 1999, a convite do Instituto dos Resíduos elabora o livro “Um Olhar Musical pelos Resíduos”.

Em 2002 publica o livro “Cordofones Portugueses”.

Em 2007 publica o Livro “O Cavaquinho sem Mestre”.

Possui um património de mais de 500 instrumentos musicais do ambiente tradicional português, bem como um arquivo musical onde figuram 500 discos de 78rpm, 3.000 Lps, 300 singles e Eps.

Recentemente num edifício próprio em Odivelas abriu  um  Espaço Museu com a maioria do seu espólio.

A Câmara Municipal de Odivelas condecorou-o com a Medalha de Ouro da Cidade, pelo seu contributo cultural no País e no Concelho.

 

 

 

À Procura da História do Fado

Quando se anda nestas andanças de estudar o Fado, há mais de 40 anos, fico sempre admirado quando nascem especialista em dados momentos da vida portuguesa. Os meus mestres sempre me disseram que o que custa mais são os primeiros 50 anos. Por respeito aos mestres ainda me faltam mais 19 anos (se lá chegar) para entender qualquer coisa.

Por isso não vou fazer afirmações mas sim perguntas para reflexão.

1- Será que já entenderam que “fado-destino” não tem nada a ver com ”Fado-expressão musical”? Já leram a Triste Canção do Sul de Alberto Pimentel?

Quando ler este livro é bom ter à “mão de semear” a 4ª edição do Dicionário de Lacerda (1874) para comprovar que é verdade a afirmação do autor da Triste Canção do Sul de que é neste dicionário que pela primeira vez aparece a palavra Fado com “expressão musical”.

Sabiam que Luís de Camões utiliza 17 vezes a palavra “fado” nos Lusíadas.

Se quer um exemplo basta ler o canto I, estrofe 28 (Prometido lhe está do Fado eterno…)

Será que Luís de Camões já era Fadista?

2- Porque é que procuram as origens do Fado (expressão musical) na palavra “fado-destino” e não na pessoa que o criou e o cantou (o Fadista)? Quando é que apareceu o Fadista em Lisboa e porquê? Nas fotografias ou desenhos antigos o Fadista aparece sempre a tocar Guitarra Portuguesa. E quando é que apareceu a Guitarra Portuguesa em Lisboa e os “Guitarreiros” que a construíam? Quando é que apareceram os poetas e compositores de Fado?

3- Dizem os mestres na matéria que o Fado é uma canção triste e fatalista. Que tipo de Fado? Conhecem muita música clássica que seja alegre? A música de câmara é alegre? Existem muitas Óperas alegres? Será que todo isto é Fado? A Rebetica (música grega) é uma música alegre, já ouviram? Procurem vídeos desta canção na internet. Será que o Fado tem origem grega?

Para aqueles que gostam de Fado que tal uma leitura dos livros já escritos sobre o assunto. Assim podem formar uma ideia mais clara. Podem ir a Biblioteca Nacional no Campo Grande (Lisboa). Aqui fica a listas dos livros que falam do assunto:

http://www.jose-lucio.com/Fado/Livros.htm

Se tiverem paciência não deixem de consultar na Biblioteca Nacional de Lisboa os três grandes jornais sobre o Fado.

Canção do Sul, 1922 quinzenário com vários directores (António Cardo, Cândido Torrezão…).

 

O Fado, 1º exemplar publicado em 16 de Abril de 1910, semanário, proprietário e director Carlos Harrington.

 

Guitarra de Portugal, que nasceu a 15 de Julho de 1922.

Tri-Mensário de Literatura e Poesia, porta-voz do Fado que tinha com director o grande João Linhares Barbosa.

Estes jornais têm muito assuntos importantes sobre Fado que se lêem bem em 10 anos. Gostar de Fado é aprender a conhecê-lo. E conhecer dá trabalho.

Parabéns ao Vítor Duarte pelo contributo dado ao Fado. É que gostar de Fado não é sinónimo de comprar um CD, beber uns copos em ambientes fadistas ou ser vedeta do Fado. Aprender a gostar de Fado também passa por conhecer um pouco da sua história.

Um abraço a todos aqueles que têm contribuído pela dignidade do Fado

José Lúcio

www.jose-lucio.com

Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: Grande Musicólogo
publicado por Vítor Marceneiro às 00:00
link do post | comentar | favorito
Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Site Portugues
Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

bairros de lisboa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

fernando farinha

fernando maurício

fernando pessoa

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags