Sábado, 21 de Julho de 2007

FERNANDA BATISTA

 Fernanda Batista canta: Fado das Sombras

 

 FERNANDA BATISTA

                                                                                                                                                                  Fernanda Baptista nasceu em 1920. Já aos dez anos de idade,  a sua paixão  pelo teatro era bem visível,  a jovem Fernanda adorava mascarar-se e entrava já em peças infantis.

Tem a profissão de modista, que abandona, para se dedicar ao Fado.

Estreou no Café Luso, pela mão de Filipe Pinto, no início dos anos quarenta, onde logo teve um êxitto assinalável.

A sua estreia profissional no Teatro de Revista,  ocorreu em 1945, na sequência de um convite do maestro João Nobre para participar na revista "Banhos de Sol", substituindo Leónia Mendes. Foi apenas a primeira de mais de trinta revistas em que participou.

Um dos seus maiores sucessos foi em 1969 na revista “Ena Pá Já Fala” com o fado Saudades da Júlia Mendes.Teve no entanto outros grandes  êxitos como     o "O fado está-lhe nas veias", "Ai, ai, Lisboa", "Fado para esta noite", "Trapeiras de Lisboa", "Fui ao baile", "Fado das sombras", "Um fado para Stuart" e "Fado da carta", etc.

A sua gravação mais recente é de 1981, "Meus amigos, isto é fado", um êxito seu na revista "Dentadinhas na maçã" no Teatro Laura Alves, em Lisboa, em 1974.

Actuou também no Brasil, em Angola e na Argentina e, em 1968, viajou até aos Estados Unidos.

Ao longo de 56 anos de palcos, Fernanda Baptista participou em mais de 45 espectáculos de revista e opereta.

 Recentemente integou o elenco,  do musical de Filipe la Feria "A Canção de Lisboa".

Em 2003 o Presidente da República condecorou-a com a Ordem de Mérito.

 

 

SAUDADES DA JÚLIA MENDES

 

(declamado)

Eu trago a vida suspensa

Das cordas duma guitarra

Mas oiço com indiferença

Quando me vêm dizer

Aquela ideia bizarra

De eu não cantar p' ra viver

 

refrão

 

Ó Júlia

Trocas a vida pelo fado Pelo fado

Esse malandro vadio

Ó Júlia

Olha que é tarde

Toma cuidado

Leva o teu xaile traçado

Porque de noite faz frio

Ó Júlia

Andas com a noite na alma

Tem calma

Inda te perdes p' raí

Ó Júlia

Se estás no mundo vencida

Não finjas gostar da vida

Que ela não gosta de ti.

 

                                               Não fales coração

                                               Tu és um tonto sem razão

                                               Viver só por se querer

                                               Não chega a nada

                                               Aceito a decisão

                                               Que os fados trazem ao nascer

                                               Todos nós temos que viver

                                               De hora marcada

                                               Se Deus me deu voz

                                              Que hei-de eu fazer

                                               Senão cantar

                                               O fado e eu a Sós

                                               Queremos chorar

                                               Eu fujo não sei bem

                                               De quê, do mundo ou de ninguém

                                               Talvez de mim

                                               Mas oiço alguém

                                               Dizer-me assim:

 

Refrão

 

 


Contacto com o autor: clicando aqui
música: Fado das Sombras
publicado por Vítor Marceneiro às 00:47
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Lara a 21 de Julho de 2007 às 01:28
Linda canção!
De Quadrado da Hipotenusa a 21 de Julho de 2007 às 18:47
Gostei do que li. Não conhecia ahistória da Fernanda Batista.

Parabens
De robbiewilliams1023 a 22 de Julho de 2007 às 01:19
Goatei muito da histori dela..
Gostei..=)

Continua
De AG a 23 de Julho de 2007 às 09:08
Caro Lisboanoguiness,

Preciso de uma foto de Júlia Mendes para o meu blogue sobre o fado: http://www.agal-gz.org/blogues/index.php/fado/2005/06/29/p236#more236
Pode-me ajudar?

Obrigado.

"Todos temos nosso fado"
De Vítor Marceneiro a 23 de Julho de 2007 às 11:39
Para: Agal-gz
Não tenho forma de satisfazer o seu pedido.
Vitor Duarte Marceneiro
De Vieira COSTA a 25 de Julho de 2008 às 10:27
Fernanda Baptista estreou-se em 1942 na revista "Banhos de Sol".

"Segue o teu caminho", "Trapeiras de Lisboa", "Salada de alface" e "Pedrinha da rua" são alguns outros êxitos seus.

"Tudo o que a Fernanda lançava no teatro tornava-se um êxito", disse recentemente à agência Lusa a presidente da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado, Julieta Estrela de Castro.

Fernanda Baptista, em 54 anos de palcos, participou em mais de 45 espectáculos de revista e opereta.

"Fiz muita revista e opereta e tive longas temporadas no Brasil e Estados Unidos, para além ter actuado em várias casas de espectáculo europeias. Procurei sempre dignificar o nome de Portugal", afirmou recentemente.

O ex-Presidente da República Jorge Sampaio condecorou-a com a Ordem de Mérito que distingue actos ou serviços meritórios no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, ou que revelem desinteresse e abnegação em favor da colectividade.

A produtora discográfica Ema Pedrosa disse à recentemente à Lusa que "se no tempo em que Fernanda Baptista gravou houvesse discos de ouro e platina, ela hoje tinha forradas várias paredes com eles, tal foram os seus sucessos".

(Fonte: Lusa)

A fadista que tinha prometido retirar-se definitivamente dos palcos há dois anos, foi hoje(25/07/2008) embora e já deixou SAUDADE...

Até sempre FERNANDA BAPTISTA.

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags