Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

Amália Rodrigues

23 de JULHO  há 87 anos

Nascia

AMÁLIA RODRIGUES

 

É SEMPRE TRISTONHA E INGRATA
QUE SE TORNA A DESPEDIDA
DE QUEM TEMOS AMIZADE
MAS SE A SAUDADE NOS MATA
EU QUERO TER MUITA VIDA
PARA MORRER DE SAUDADES

 

 

As flores que tanto adorava

 

 

 

Obrigado Amália por tudo o que nos deste

Geração de Marceneiro

 

A NOSSA AMALIA E O POVO

 

A nossa Amália morreu

Nosso Povo estremeceu

Com tanto calor e frio

No céu entrou uma Fada

E uma canção magoada

Povo que Lavas no rio.

 

                                                     As avenidas e estradas

                                                     E as pedras das calçadas

                                                     Ficaram todas unidas

                                                     Os rapazinhos choraram

                                                     As andorinhas voltaram

                                                     Sempre de luto vestidas.

 

Os carpinteiros a correr

Foram todos para fazer

As tábuas do seu caixão

Os Anjinhos se juntaram

Os Santinhos se prostraram

Até Deus pediu perdão.

 

                                                      Desde a Rua de São Bento

                                                      Povo Unido, num lamento

                                                      Choravam lágrimas e prantos

                                                      Peregrinos de sandálias

                                                      Consagraram nossa Amália

                                                      E os Poetas eram tantos.

 

A Cidade de Lisboa

Desde Alfama à Madragoa

Desde a Estrela ao Rossio

Varinas de sete saias

Vê lá meu Povo não caias

Povo que Lavas no rio.

 

Poema de: Manuel Luis Caeiro de Pavia

 

Contacto com o autor: clicando aqui
publicado por Vítor Marceneiro às 14:42
link do post | comentar | favorito
10 comentários:
De Álvaro Nunes Ribeiro a 24 de Julho de 2007 às 22:11
Meu Caro Duarte
Parabéns, parabéns. Uma homenagem muito bem feita á nossa Amália. Tenho a certeza que alguns (muitos) amalianos, não compreendem a intenção e profundidade da sua montagem... fotos inéditas, vermelho, flores, o poema ..., muito bem, esteja onde estiver Amália, que será decerto ao lado do seu avô "está a elogiá-lo" .
Estive num site que me parece ser oficial de Amália, mas que não permite comentários, porque lhes queria perguntar porque colocaram junto com Amália... pasme-se... uma imagem de Fred Astaire , terá algum significado? Ficamos em saber.
Espero que nos informe quando for a apresentação do DVD, j á comprei o CD das Três Gerações, bonito o seu gesto de tudo fazer para conseguir homenagear seu tio, o Carlos Duarte, de quem fui amigo e admirador.
Permita que lhe envie um abraço fraterno.
A.N.Ribeiro
De Vítor Marceneiro a 24 de Julho de 2007 às 23:34
Amigo Nunes Ribeiro
Obrigado pelo seu comentário, aliás o único.
A mim também me enviaram o tal site para eu ver, também não percebi o que faz ali Fred Astaire, mas enfim o importante é falar de Amália.
A mim criticam-me porque este blog é para pôr Lisboa no Guiness, como a Cidade mais Cantada do Mundo, e que eu divago.
E é, porque continuo a compilar para a base de dados letras sobre Lisboa.
Mas continuarei a investigar e falar de "FADO" e dos fadistas.
Peço desculpa a quem se sente (ultrapassado) incomodado !!! , mas a verdade é que não tendo praticamente comentários, é o blog mais visto no dentro do seu género “Fado” e está nos tops dos motores de busca!
Entre as 21 Horas do dia 19 do corrente, e as 22 horas de hoje dia 24, este blog teve 3.946 visitas, só em Amália estiveram em (view page) 947 visitante em 3 horas após a minha publicação, como pode ser confirmado o controlo de visitas do blog.
Um Abraço
Vítor Marceneiro


De Sempre com Amália a 25 de Julho de 2007 às 11:21
A noticia no seu blog sobre a grande Amália é na verdade interessante, por várias razões, por ter saido no dia do seu aniversário, por ter boas fotografias, quer as da Amália, quer as das flores e por ter sido muito feliz no poema que escolheu. O que eu não entendo é que o Vitor não tenha corrigido o comentário de A.N.Ribeiro sobre o Fred Astaire. Que ele não saiba e podia ter sido mais prudente, sem o termo pasme-se, tudo bem mas você como investigador e historiador de fado não saber da ligação do Fred Astaire à Amália é que me faz pasmar, porque é uma história muito conhecida, que eu lhe recordo e estou certo que se vai recordar. A Amália num hotel dos Estados Unidos pensou no suicidio e foi quando viu filmes do Fred Astaire que se distraiu e abandonou a ideia do suicidio. Isto vem em todos os "compendios" sobre a Amália e creio mesmo que ela o confirmou em algumas entrevistas. Fica esta ideia para o meu amigo a aproveitar ,se assim o entender.
Parabéns pelo seu blog, que tem muito interesse, embora haja um outro pelo menos com grande interesse porque além das muitas noticias que dá de fado, dá a oportunidade de ouvir alguns fadistas, com boa sonoridade e boa imagem.
Parabéns e cumprimentos.
De Vítor Marceneiro a 25 de Julho de 2007 às 13:55
Meu Caro Amigo
Obrigado pela explicação, que confesso não me lembrava, pois tenho intuitivamente, fugido a essas parte menos felizes na vida da nossa querida Amália.
Em breve vou publicar alguns artigos sobre Amália, com o título Apontamentos Amalianos, que de forma nenhuma é para entrar em competição ou concorrência, com o que muito há e muito bem feito sobre a DIVA, mas sim porque são dados do inicio de carreira, que nas buscas que faço na Biblioteca Nacional fui descobrindo, e que penso serem sempre úteis mesmo que por vezes se repitam os dados.
Parabéns pelo vosso trabalho e pela excelente apresentação.
Vítor Duarte Marceneiro
De Álvaro Nunes Ribeiro a 27 de Julho de 2007 às 00:15
Para SEMPRE AMÁLIA

(Meu caro Duarte , desculpe estar a usar o seu espaço para responder a "Sempre Amália", mas não vi outra solução)

Muito obrigado pela sua explicação, mas creia que muitos dos visitantes não perceberam a sua intenção. A história é interessante, mas para escrever numa biografia, mas mesmo que eu conhecesse o episódio nunca o usaria para "Relembrar o Aniversário de Amália".
Mas cada um tem a sua opinião.
Parabéns pela dedicação à figura de Amália.
A.N.Ribeiro
De Sempre Amália a 27 de Julho de 2007 às 23:53
O amigo vai-me desculpar,porque para mim o assunto estava arrumado, mas quando pede licença ao Vitor para responder dizendo que não via outra solução, obriga-me a responder-lhe. Então vem dizer-me que os visitantes não perceberam a minha intenção ? Então não é claro que a minha intenção foi só a de esclarecer porque figurava o Fred Astaire ? Penso que é perfeitamente compreensivel. O que os visitantes não terão percebido, é porque é que o meu amigo ficou tão pasmado indo ao ponto de afirmar que desconhecia o significado da presença do Fred Astaire.
Então havia ou não havia razão para o Fred Astaire figurar ? O meu amigo desconhecia o assunto, o que agora vem reconhecer, quando diz que MESMO QUE CONHECESSE o episódio, nunca o usaria. Penso que o nosso amigo Vitor, neste caso até me devia agradecer, porque eu esclareci a razão de figurar o Fred Astaire.
Uma coisa é não querer abordar o assunto ( é a sua opinião que eu respeito ) e outra é desconhece-lo, ao ponto de ficar pasmado, lançando duvidas no blogue do Vitor Marceneiro.
Não acha que esclarecer duvidas é valorizar o blogue do Vitor ?
Saudações amalianas ao nosso amigo Alvaro Nunes Ribeiro.
De Álvaro Nunes Ribeiro a 28 de Julho de 2007 às 11:58
Meu Caro Vítor
Desculpe mais uma vez o uso do seu "espaço".
è para explicar a "Sempre Amália" que com a afirmação "outra solução", é porque não consegui escrever no seu site .
Com as minha afirmações não quiz desfazer do seu trabalho, tanto que o elogiei, mas uma opinião franca é saudável, não acha.
Para mim o assunto está encerrado, e espero que este pequeno debate não tenha sido "conflituoso" mas sim salutar.
Cumprimentos
A.N. Ribeiro
De Vítor Marceneiro a 28 de Julho de 2007 às 19:40
Caro Amigo
Agradeci logo a sua explicação, e concerteza que me dá muito gosto este tipo de trocas de ideias "com lisura" como aliás é nosso apanágio.
Quero também agradecer as suas visita ao meu blog, e por favor não hesite em interferir sempre que assim o entenda.
Saudações Fadistas
Vítor Duarte Marceneiro
De aideuseue@yahoo.com a 19 de Outubro de 2007 às 10:46
Hoje - 19 Outubro - é um dis histórico. Foi publicado no Diário da República o decreto que outorga à Fundação criada por Amália, o estatuto de "utilidade pública". Este primeiro grande passo foi dado, resta agora saber o que farão com este estatuto e até que ponto o Governo vai estar atento ao que farão do património de Amália! A comunidade fadista deve estar muito atenta!

De Paulo Sempre a 28 de Março de 2008 às 00:24
Amália, sempre!!

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

árvore de natal

ary dos santos

aurélio da paz dos reis

avelino de sousa

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags