Segunda-feira, 9 de Março de 2015

MARIEMA - Grande Vedeta da Revista à Portuguesa

 

 

Mariema Mendes de Campos, nasceu em Lisboa no Bairro de Campo d´Ourique. 

Foi sempre desde muito jovem, alegre e brincalhona, com um sentido de humor fora do comum.

Sonhava vir a ser hospedeira de bordo, o que acabou por não se concretizar.

Já em jovem estudante gostava de cantar o Fado para os colegas, foi crescendo e começou a frequentar casas de fado, e perdeu o receio de cantar em público e começou a fazê-lo e tal modo agradou que foi contratada.

Em 1964 a empresa que explora o Teatro ABC, convida-a para a revista “ A regar e por ao Luar”, como atracção. Segue-se a revista “ “Ái venham vê-las” onde tem a sua primeira rábula as «Gémeas» em que contracena com Fernanda Borsati, que acabou por ser um dos pontos altos da revista. 

Transita para o teatro “Maria Vitória” para a revista “Sopa no Mel”, onde a sua actuação é mais como actriz que como fadista, tendo conseguido um extraordinário êxito. Também actuou no Variedades na revista “A Ponte a Pé” 

Grava vários EP e LP, mas como ela afirma passou a ser essencialmente uma artista do teatro de revista, que também canta.

Teve êxitos como «Amor de Verão», «Zé da Esperança», «Sozinha», «Seja o que Deus quiser», «Quer queiras quer não», mas acima de todas « O Fado Mora em Lisboa », que abaixo se reproduz e que ela canta.

MARIEMA

Canta: O FADO MORA EM LISBOA

 

 

A Junta de freguesia de Carnide no âmbito das comemorações DO DIA MUNDIAL DO TEATRO, levou a efeito no dia 27 de Março de 2010  uma exposição organizada por Miguel Villa

 GRANDE VEDETA DA REVISTA, MARIEMA

Foi inaugurada uma escultura da autoria de Nuno Coutinho, foram apresentados uma serie de momentos da vida da artista, com  excertos do espectáculo “AMÀLIA” de Filipe La Féria (com o apoio do Teatro Politeama) e com exposição sobre a vida e a obra da actriz (com o apoio de expólio cedido por Miguel Villa, Museu do Teatro e Teatro Politeama), que teve lugar no ESPAÇO BENTO MARTINS DA JUNTA DE FREGUESIA.

Mariema, começou nas fadistices por brincadeira,  e certo dia num dos restaurantes onde cantava para amigos foi escutada pela fadista Deolinda Rodrigues que logo nela falou para a levarem para o teatro de revista.

Estreou-se no Parque Mayer ainda no antigo pavilhão português na revista “É REGAR E POR AO LUAR”

Seria no teatro Maria vitória na revista “SOPA NO MEL” que cria o seu maior sucesso de sempre “ O FADO MORA EM LISBOA” a partir daqui nunca mais parou criando no teatro rábulas de grande êxito e sucessos que ainda hoje andam de boca em boca “LISBOA, PRINCESA DO TEJO”, “MARUJINHO”, “ALFACINHA DA GEMA” entre muitos outros.

Foi cabeça de cartaz de centenas de revistas no Parque Mayer, trabalhou com Filipe La Feria nos espectáculos “Amália”, “ My Fair Lady”

No cinema participou no filme “Bonanza & Companhia”, na televisão participou em programas de “Melodias de Sempre”, “Grande Noite” e actualmente em “ Conta-me Como Foi”

Ao longo da sua carreira fez imensos espectáculos com fadista e actriz de norte a sul do país e no estrangeiro integrada no elenco de várias revistas.

Mariema é actualmente a ultima grande vedeta da revista do seu tempo viva e ainda no activo

Participou recentemente na companhia “artistas unidos” na peça “Seis personagens á procura de um autor” que esteve em cena no teatro São Luíz.

 

 

Contacto com o autor: clicando aqui
Viva Lisboa: Ah! Fadista
música: O FADO MORA EM LISBOA
tags:
publicado por Vítor Marceneiro às 00:00
link do post | comentar | favorito