Domingo, 4 de Março de 2007

FERNANDA MARIA

                                                                                                                                                                                                 

 

    Fernanda Maria canta     

Saudade, vai-te embora

de Júlio de Sousa

 

Fernanda Maria, voz nostálgica, impregnada de sentimento, de saudade de tragédia e nostalgia, voz que chega aos nossos corações, pois é também uma voz bem timbrada que nos atrai e seduz, é uma mulher com garra e convicções, é bem uma “Castiça Cantadeira de Fados” qualidades que infelizmente vem sendo difícil de encontrar, porque a Alma de Cantadeira de Fados, não é um exercício nem uma aprendizagem, é um dom que Deus dá,  a alguns.

 

 

    

Fernanda Maria por Cralos Conde

 

Quando a Fernanda Maria

Canta o que sabe cantar,

Pôe na voz toda a magia

Que o fado tem p´ra nos dar!

 

E ao coar pela garganta

Essa toada dolente,

Sabe sentir o que canta

Porque só canta o que sente!

 

P´la voz que a todos seduz

Tem o nome consagrado,

De uma estrela que reluz

No firmamento do Fado!

   

Fernanda Maria

 

Falar de “coisas” simples, é difícil.

Falar de “sentimento” é complicado, e mesmo arriscado.

Diz a singular sabedoria “não é fadista quem quer / mas sim quem nasceu fadista”.

O que é isto de se “nascer” fadista? “Fadista” diz-se do intérprete de Fado que canta com “alma”, independentemente da sua origem territorial, sexo ou idade, quer seja profissional ou amador.

Sabemos quão peculiar é esta forma de canto e quanta “raça” se exige a um/uma intérprete até se lhe poder chamar, com orgulho bairrista - “Fadista de Raça”.

Sempre existiram grandes fadistas para todo o Fado. Creio mesmo que estariam sempre em consonância com as épocas e ambientes em que viveram. Desde Maria Cesária e Severa (primeira metade do século XIX) até aos nossos dias, muitos foram os nomes femininos e masculinos, nobres e plebeus, de vozes urbanas ou rústicas, vindos das grandes cidades do litoral ou do interior, das aldeias ou das ilhas, que arrebataram com os seus poemas eruditos ou populares, numa mensagem transcendente, a nossa alma Lusa e nómada.

Num popular Bairro de Lisboa, Mouraria – ali mesmo onde a tradição diz ter nascido o Fado – nasceu ela. Ela,  Fernanda Maria !

Tudo o que se espera do Fado; tudo o que o Fado nos pode transmitir; tudo o que podemos definir como Fado, nasceu por destino na expressão involuntária e no arrebatamento emocional desta senhora-intérprete.

O “estilo” valoriza e define um/uma Fadista.

Cada intérprete “cria” (ou deveria criar, não imitar!) a sua forma de dizer e, aliando-a à palavra no contorno melódico da sua íntima expressão de sentir, ela dá-nos a justa medida da sua entrega. É neste momento que a “transfusão” se processa. É justamente por isso que quem escuta o Fado, mesmo sem saber o que dizem as palavras, sabe o que dizem os corações. O Fado é um Canto primordial ao Sentimento.

Acredito que o mesmo “sentir” que acompanhou a gesta portuguesa desde o alvor da nossa nacionalidade, com mais ou menos influências nos ritmos e nos cantos da nossa diáspora, continua presente.

Ninguém no mundo saberá melhor sentir ou descrever Saudade como num Fado um Português !. E ninguém ficará indiferente ao timbre, ao gesto, à emoção, à entrega, à luminosidade, à intenção, à musicalidade, à dicção e à presença de Fernanda Maria. 

 

Maria de Lourdes De Carvalho 

 

  

O FADO
Repertório de Fernanda Maria 
Letra de: Dr. Guilherme Pereira da Rosa
Música de:Frederico Valério

 
 
Fado nascido em Lisboa
É voz que pena que soa
Mágoa que do peito vem
O Fado
É bairro velho que chora
Alfama que se enamora
E conta o amor que tem
O Fado
É canto de feiticeiro
È Alfredo Marceneiro
É um dom uma expressão
E é fado
Guitarra que nos murmura
Tudo aquilo que perdura
 Bem dentro do coração
Ao Fado
Lisboa diz o que sente
Vai nele a alma da gente
Pois é esse o seu condão
 

 

música: Saudade Vai-te Embora
publicado por Vítor Marceneiro às 19:43
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Vítor Duarte Marceneiro a 4 de Março de 2007 às 20:37
Faço questão de além de autor do blog, de fazer aqui um comentário.
Tenho grande orgulho de conhecer Fernanda Maria desde miúdo, a sua ligação quer ao meu pai quer a meu avô com quem gravou duetos.
Foi a par com mais duas ou três grandes Senhoras do fado que marcaram na minha infância que perdura até hoje
Um Beijo do Vitó neto e filho dos seus amigos e admiradores Alfredo Marceneiro e Alfredo Duarte Júnior
De Carlos Marques a 8 de Março de 2007 às 21:27
Caro Vítor
Acho muito bonito esta sua postura, falou dos seus entes queridos, mas ao lê-lo sinto o carinho com que fala dos artistas que nos apresenta.
Pensava que já ninguém no "mundo do espectáculo" tivesse esta postura, parabéns e continue.
Carlos Marques
De Nuno Santos a 18 de Janeiro de 2009 às 04:42
Olá boa noite gostaria de saber onde posso ver a Dª Fernanda Maria.

Obrigado

nunoandresantos@gmail.com
De Vítor Marceneiro a 18 de Janeiro de 2009 às 19:23
Lamento não lhe poder dar essa informação. Cumprimentos
Vitor Marceneiro
De MARINA a 14 de Março de 2007 às 19:37
Olá Vitó
Tenho a honra de conhecer a D.Fernanda Maria, para mim uma das grandes sras do Fado(senão a maior dependendo dos gostos e este é o meu) que vai estando esquecida. Foi a ouvi-la que aprendi a amar o fado,ainda muito menina.Ainda bem que a lembraste aqui. Obrigada
De Rui Verrín a 12 de Outubro de 2007 às 13:23
Publicamente agradeço à Fundação Amália Rodrigues ter ouvido ao vivo esta grande fadista e senhora! Foi receber um prémio o ano passado e puxada pela Maria da Fé cantou e de que maneira, foi o momento alto da noite! Sei que às vezes aparece nas casas de fado sabem dizer quais?
De Vítor Marceneiro a 12 de Outubro de 2007 às 21:34
Caro amigo
Obrigado pelos seus comentários.
Na realidade Fernanda Maria não pára num sitio fixo, quando sai para ir jantar aos Fados, o que acontece raramente, é porque alguém das suas amizades a convida e o local depende.
Um abraço
Vítor Marceneiro
De Nuno Santos a 18 de Janeiro de 2009 às 04:45
Sabe como posso contactar a Dª Fernanda Maria?

Pois sou primo de segunda geração da mesma.

Obrigado
De Vítor Marceneiro a 18 de Janeiro de 2009 às 19:25
Penso que poderá contactar o Museu do Fado, deixa o recado e o seu contacto telefónico, pois eles devem conseguir e dar-lhe o recado.
Cumprimentos
Vitor Marceneiro
De Dalicier Louro a 21 de Março de 2009 às 08:14
Olá, gostaria muito de saber da Fernanda Maria, durante anos fui assídua do Lisboa à noite, depois deixei de ouvir a vos do fado. Gostaria de saber como está? Tenho saudades da sua voz e das noites bem passadas no seu retiro do Fado.
De Vítor Marceneiro a 24 de Março de 2009 às 20:08
Caro Amigo
Fernanda Maria, felizmente está bem de saúde, mas retirada do mundo do espectáculo.
Cumprimentos
Vítor Marceneiro
De Joao Tenreiro a 29 de Maio de 2011 às 21:33
Amigo Vitò, o nosso amigo Carlos Escobar ,grande poeta, escreveu um fado que me ofereceu que è duma verdade tremenda, fado esse que è dedicado à saudosa D. Lucilia do carmo ,onde o esquecimento impera. Omesmo acontece com as nossas queridas amigas Fernanda Maria e Beatris da Conceiçao, que nao tem o lugar merecido.Mereciam uma Grande Homenagem enquanto vivas. Enfim è o paìs que temos. Joao tenreiro (fadista)

Comentar post

Clique aqui para se inscrever na
Associação Cultural de Fado

"O Patriarca do Fado"
Clique na Foto para ver o meu perfil!

arquivos

Maio 2021

Fevereiro 2021

Junho 2020

Maio 2020

Março 2020

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Novembro 2018

Outubro 2018

Agosto 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Aguarelas gentilmente cedidas por MESTRE REAL BORDALO. Proibida a sua reprodução

tags

10 anos de saudade

2008

50 anos de televisão

a severa

ada de castro

adega machado

adelina ramos

alberto ribeiro

alcindo de carvalho

alcino frazão

aldina duarte

alfredo correeiro

alfredo duarte jr

alfredo duarte jr.

alfredo duarte júnior

alfredo marcemeiro

alfredo marceneiro

alice maria

amália

amália no luso

amália rodrigues

américo pereira

amigos

ana rosmaninho

angra do heroísmo

anita guerreiro

antónio dos santos

antónio melo correia

antónio parreira

argentina santos

armanda ferreira

armandinho

armando boaventura

armando machado

arménio de melo - guitarrista

artur ribeiro

beatriz costa

beatriz da conceição

berta cardoso

carlos conde

carlos escobar

carlos zel

dia da mãe

dia do trabalhador

euclides cavaco

fadista

fadista bailarino

fado

fado bailado

fados da minha vida

fados de lisboa

feira da ladra

fernando farinha

fernando maurício

fernando pinto ribeiro

florência

gabino ferreira

guitarra portuguesa

guitarrista

helena sarmento

hermínia silva

herminia silva

joão braga

josé afonso

júlia florista

linhares barbosa

lisboa

lisboa no guiness

lucília do carmo

magusto

manuel fernandes

marchas populares

maria da fé

maria josé praça

maria teresa de noronha

max

mercado da ribeira

miguel ramos

noites de s. bento

oficios de rua

óleos real bordalo

paquito

patriarca do fado

poeta e escritor

porta de s. vicente ou da mouraria

pregões de lisboa

raul nery

real bordalo

santo antónio de lisboa

santos populares

são martinho

teresa silva carvalho

tereza tarouca

tristão da silva

vasco rafael

vítor duarte marceneiro

vitor duarte marceneiro

vítor marceneiro

vitor marceneiro

zeca afonso

todas as tags